BB (BBAS3) recompra títulos no exterior; Dasa (DASA3) emite debêntures

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: Divulgação / BB

O Banco do Brasil (BBAS3) informou, nesta terça (20), que exerceu a opção de recompra total do título de dívida emitido em 2009, com cupom de 8,5%.por 100% do seu valor de face, diz o banco, acrescido dos juros proporcionais e não pagos.

“A operação de recompra será realizada com recursos provenientes do caixa do BB e não trará impactos relevantes para os níveis de liquidez e de capital da instituição”, complementa o banco em nota ao mercado.

Dasa (DASA3) emite debêntures no total de R$ 600 milhões

A Dasa (DASA3, Diagnósticos da América) anunciou, também nesta terça, que fará emissão de debêntures no valor total de R$ 600 milhões.

BDRs, Day Trade, Unicórnios e novos IPOs.

Hoje é dia de insights para investir em 2021.

Serão emitidas 600.000 debêntures, cada uma no valor nominal unitário de R$ 1.000.

A emissão será realizada em duas séries.

“A quantidade de debêntures a ser alocada em cada série será definida conforme o procedimento de bookbuilding”, diz a Dasa em comunicado.

A data de emissão dos títulos será 20 de outubro de 2020.

A primeira série terá o prazo de cinco anos contados a partir de hoje, com vencimento em 20 de outubro de 2025.

A segunda série terá o prazo de sete anos contados a partir de hoje, vencendo-se, portanto, em 20 de outubro de 2027.

Ez Tec (EZTC3) espera alcançar até R$ 4,5 bi em VGV até 2021

A Ez Tec (EZTC3) informou, nesta terça, espera alcançar entre R$ 4 bilhões a R$ 4,5 bilhões em Valor Geral de Vendas (VGV), em 2020 e 2021.

A empresa menciona, no comunicado, empreendimentos exclusivamente residenciais, considerando somente a participação da Ez Tec.

“A projeção já inclui o valor de R$ 770 milhões referente aos lançamentos residenciais realizados nos três primeiros trimestres de 2020”, diz a companhia.

“As projeções levam em conta fatores como condições gerais da economia, do mercado, do setor imobiliário,
de órgãos públicos, e também operacionais”, acrescenta.

Leia mais: