Bancos tradicionais estão fechando agências para competir com o Nubank

Sabrina Oliveira
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução/Facebook

Os grandes bancos brasileiros estão entrando na nova digital, fechando agências e demitindo funcionários para cortar gastos, aumentar os lucros, e para competir com as fintechs, como Nubank e Banco Inter. No total, já foram 430 agências encerradas, resultando em 6,923 mil pessoas demitidas, sendo que, muitos destes funcionários aderiram a programas de demissão voluntária (PDVs) dos bancos. As informações são do Seu Crédito Digital.

Além de competir com empresas de fintech, mudanças regulatórias também contribuíram para essa situação, como o limite de cheque especial mensal de 8%, além do processo de digitalização do Itaú, Santander e Bradesco, o que faz com que alguns profissionais sejam dispensados.

Outra razão pela qual os bancos estão fechando agências e demitindo funcionários é o aumento dos lucros, onde os bancos também podem reduzir as taxas para clientes e competir com as tarifas de fintechs.

Baixe a planilha e faça você mesmo o rebalanceamento da sua carteira de investimentos com Renda Fixa e Variável

Em termos de cartões de crédito, as pessoas substituíram os cartões com anuidade alta dos bancos tradicionais por cartões de anuidade zero (ou inferior), como Nubank, Banco Inter, Meu Pag ou Trigg, e os grandes bancos sentiram o impacto dessas mudanças, que tentaram revidar.

Inicialmente, esses bancos também criaram produtos semelhantes aos das fintechs, como o cartão de crédito Santander Free, Digio (parceria entre Bradesco e Banco do Brasil) e o next (Bradesco), além de começaram a oferecer mais contas digitais gratuitas, como Superdigital do Santander, BB Conta Digital, conta Next do Bradesco e conta iti do Itaú.

De acordo com o balanço do Itaú, em todo o ano de 2019, o Itaú fechou 436 agências na América Latina,  sendo 372 unidades no Brasil, com um total de 5.454 pessoas demitidas. No relatório também foi informado que o investimento em tecnologia com foco na eficiência de custos permitiu o fechamento das agências, e irá continuar encerrando pontos neste ano. No ano passado, o Itaú teve em 2019 o maior lucro para um banco na história do país, sendo R$ 26,583 bilhões.

Análises e Resumos do mercado financeiro com leituras de 5 minutos. Conheça a EQI HOJE

O Bradesco fechou mais de 100 agências em 2019, a maioria no último trimestre, demitindo  1.276 funcionários do banco. Neste ano, o Bradesco também deve continuar fechando agências, com previsão de fechamento em torno de 300 filiais. No ano passado, o Bradesco conseguiu um lucro líquido de R$ 22,6 bi, 18,32% a mais do que no ano de 2018.

O Santander encerrou as atividades em 45 agências no ano passado, demitindo 1.663 funcionários e a previsão é que 300 agências fechem neste ano. Em 2018, Santander teve em 2018 um lucro de R$ 14,181 bi, com um aumento de 16,6%.