Bancos terão alíquota menor em novo imposto; veja outros destaques

Osni Alves
Jornalista (2007); Especializado em Comunicação Corporativa e RP (INPG, 2011); Extensão em Economia (UFRJ, 2013); Passou por redações de SC, RJ e BH (oalvesj@gmail.com).
1

Crédito: Bancos terão alíquota menor em novo imposto

Na primeira fase da reforma tributária enviada ao Congresso, o governo propôs uma alíquota única de 12%.

A taxa será para a Contribuição Sobre Bens e Serviços (CBS), a ser criada a partir da unificação do PIS/Cofins. No entanto, conforme destacou o Estadão, a tributação para as instituições financeiras será menor, de 5,8%.

Já as receitas de prestação de serviços de transporte público coletivo municipal de passageiros, como rodoviário, metroviário, ferroviário e aquaviário, que mexem com a vida da população, ficarão isentas, assim como os templos religiosos.

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

A proposta da reforma foi entregue ao Congresso nesta terça-feira (21) pelo ministro Paulo Guedes.

Brasil, OMC e China

O Valor informa que Brasil e Estados Unidos submeteram uma proposta politicamente sensível à Organização Mundial do Comércio (OMC), estabelecendo que o princípio de economia de mercado tem de valer para todos os seus membros.

Com isso, eles visam garantir condições equitativas de competição econômica no comércio internacional.

A iniciativa bilateral, na prática, alveja a China em plena guerra fria entre americanos e chineses.

O governo de Jair Bolsonaro opta de forma inequívoca pelo lado americano. O documento, segundo fontes, expressa o fortalecimento da relação bilateral Brasil-EUA.

Bolsonaro faz novo teste

O presidente Jair Bolsonaro continua infectado pelo novo coronavírus.

A conformação é do Palácio do Planalto, reportaa pelo G1 nesta quarta-feira (22).

O resultado de um novo teste realizado pelo presidente teve mais um resultado positivo.

Em nota, o Planalto informou também que o estado de saúde do presidente segue “em boa evolução”.

Bolsonaro faz novo teste

Bolsonaro faz novo teste.

Telefonia 5G

O Valor destaca também que preços muito elevados para as licenças de 5G tendem a se traduzir em serviços de qualidade inferior.

Assim, o serviço entregue tem menor cobertura e transmissão de dados mais baixa.

Por conta disso, as operadoras defendem um modelo em que a maior parte dos recursos a ser desembolsado vá para a montagem da infraestrutura 5G e não para a aquisição de licenças.

As licenças de 5G tendem a se traduzir em serviços de qualidade inferior.

As licenças de 5G tendem a se traduzir em serviços de qualidade inferior.

Socorro a usinas

Linha do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) de socorro a usinas ficou sem demanda.

É isso que mostra levantamento do Valor ao informar que os R$ 3 bilhões para estocar etanol não foram requeridos por nenhuma companhia do setor.

O BNDES avaliou que “foi a melhora da situação do mercado de combustíveis” que possibilitou que as usinas não necessitassem do recurso.

Linha do Bndes (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) de socorro a usinas fica sem demanda.

Linha do Bndes (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) de socorro a usinas ficou sem demanda.

BNDES e aéreas

De acordo com o Estadão, com as conversas com Azul e Gol demorando mais do que o esperado por conta de algumas questões como a destinação de recursos e diluição de acionistas, o empréstimo do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para as companhias aéreas deve ficar apenas para agosto.

Havia a expectativa de que o dinheiro pudesse ser liberado neste mês, mas o assunto não está concluído.

No momento, o banco de fomento estaria perto de assinar o termo de condições com as aéreas. Depois disso, elas poderão dar prosseguimento à operação com os bancos, que será feita via mercado.

Pelas discussões atuais, cada companhia poderá receber um empréstimo de R$ 1,2 bilhão do banco de fomento e de bancos privados, sendo que parte viria de operações no mercado de capitais.

Renault confirma demissão em massa

A Renault justificou as dispensas de 747 funcionários em sua fábrica no Paraná por conta da necessidade de minimizar os impactos da pandemia. Também para viabilizar o futuro do negócio.

Os empregados já prometem parar por tempo indeterminado.

a Renault justificou as dispensas de 747 funcionários em sua fábrica no Paraná por conta da necessidade de minimizar os impactos da pandemia.

Renault confirma demissões no Paraná.

Ministério da Saúde e Covid

A Folha de S.Paulo informa que o Ministério da Saúde gastou apenas 29% da verba emergencial prevista para combater o novo coronavírus a partir de março, de acordo com auditoria do TCU (Tribunal de Contas da União).

Dos R$ 38,9 bilhões prometidos por meio de uma ação orçamentária específica, criada em março, R$ 11,4 bilhões foram alocadas em ações de combate à pandemia.

Covid-19

O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h desta terça-feira (21).

O país registrou 1.346 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, chegando ao total de 81.597 óbitos. Com isso, a média móvel de novas mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 1.048 óbitos, uma variação de 0% em relação aos dados registrados em 14 dias.

Sobre os infectados, já são 2.166.532 brasileiros com o novo coronavírus, 44.887 confirmados no último dia. A média móvel de casos foi de 33.618 por dia, uma variação de -10% em relação aos casos registrados em 14 dias.