Banco do Brasil (BBAS3) retira indicação para o CA; Oi (OIBR4) prorroga prazo para subscrição de debêntures

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Divulgação

Reunião extraordinária do Comitê de Pessoas, Remuneração e Elegibilidade (Corem) do Banco do Brasil (BBAS3) retirou, nesta quinta-feira (15), a indicação de Iêda Aparecida de Moura Cagni para o cargo de Conselheira de Administração do banco, indicada pela União para o mandato 2021-2023, por “inconsistência no preenchimento dos campos relativos ao enquadramento nos critérios de independência”.

O Corem esclareceu que a retirada tem a finalidade “de clarificar a questão relativa ao seu enquadramento ou não nos critérios de independência, e, após saneamento, seu processo de elegibilidade deve ser novamente submetido para análise”.

Já o indicado Fernando Florêncio Campos “não atende a todos os requisitos estatutários e legais para seu enquadramento como conselheiro independente, vez que manteve, até 02.07.2019, vínculo empregatício ou estatutário com o Banco do Brasil, não havendo, porém, impedimentos à eleição e investidura do indicado no cargo, afastando-se dele, apenas, a presunção de independência aplicada aos Conselheiros de Administração indicados pelos acionistas minoritários”.

Oi (OIBR4) prorroga prazo para subscrição e integralização de debêntures

A Oi (OIBR3 OIBR4) informou hoje que, em relação à 1ª emissão de debêntures da Brasil Telecom Comunicação, controlada indireta da companhia, o prazo limite para a subscrição e integralização foi prorrogado para o dia 29 de abril de 2021, mediante acordo entre as partes.

A emissão é no valor total de até R$ 2,500 bilhões.

A Oi segue em recuperação judicial.

Unipar (UNIP6) informa sobre conversões de ações preferenciais PNA em PNB

A Unipar (UNIP3 UNIP5 UNIP6) informou que atendeu às solicitações de acionistas e converteu 170.959 ações preferenciais classe A (UNIP5) em igual número de ações preferenciais classe B (UNIP6).

As conversões modificaram a composição do capital social da companhia.

O número total de ações ainda é de 94.432.872, mas agora são 33.007.970 ações ordinárias (UNIP3), volume inalterado; 2.282.332 UNIP5, em face das 2.453.291 antes da conversão; e 59.142.570 UNIP6, sendo 58.971.611 antes da conversão.

Ações preferenciais classe A pagam o mínimo do dividendo. As classe B têm um valor pré-estabelecido do dividendo.

Alupar (ALUP3) quita 6ª Emissão de Debêntures

A Alupar Investimento (ALUP3) comunicou as realização hoje, conforme data de vencimento prevista na escritura, a quitação da 6ª Emissão de Debêntures da empresa.

A emissão em série única teve quitação no valor total de R$ 174.237.357,38.