Banco do Brasil (BBAS3) espera pico de empréstimo vencido em 2021

Osni Alves
Jornalista (2007); Especializado em Comunicação Corporativa e RP (INPG, 2011); Extensão em Economia (UFRJ, 2013); Passou por redações de SC, RJ e BH (oalvesj@gmail.com).
1

Foto: BB (BBAS3) vende carteira de crédito podre

O Banco do Brasil (BBBAS3) diz acreditar que o pico de NPL ocorrerá no primeiro semestre de 2021.

A sigla diz respeito ao Non-performing loan e trata de empréstimos vencidos, ou a vencer. Muitos contratos perdem desempenho após ficarem em default por 90 dias.

“Teremos uma terceira onda de prorrogações que deve acabar por setembro e depende muito de como a economia vai se comportar”, disse Daniel Alves Maria, gerente de relações com investidores.

Ele conversou com analistas na manhã desta sexta-feira (7) por conta da teleconferência de resultados da companhia.

Banco do Brasil.

BBAS3: receita de serviços

Chamou a atenção dentro do balanço da instituição financeira o recuo da receita de serviços.

O indicador registrou queda de 6,4% no segundo trimestre de 2020, frente igual período do ano anterior.

Já no comparativo semestral, o recuo foi menos acentuado, de 1,4% no primeiro semestre de 2020 ante igual período de 2019.

“Quando você tem redução da taxa Selic, passa pela precificação dos produtos e reflete na taxa de administração do banco”, disse.

Na última quarta-feira (5), o Copom (Comitê de Politica Econômica) reduziu a Selic em 0,25 p.p, baixando a taxa para 2% ao ano. Esse foi o nono corte seguido.

A Selic está diretamente relacionada à inflação.

Dentro do balancete da receita de serviços do BB, o segmento que mais caiu foi o de consórcios, em menos 4,5%, seguida do segmento de seguros, previdência e capitalização, com queda de 4%.

Rubem Novaes, presidente do BB.

BBAS3: Rubem Novaes

Presidente do BB, Rubem Novaes não participou da teleconferência e foi substituído pelo diretor de relação com investidores.

Há uma semana ele havia pedido desligamento da instituição ao ministro da Economia, Paulo Guedes, e ontem disse que “é hora de dar lugar a alguém mais jovem”.

BBAS3: lucro líquido recua 25,3%

O BB registrou queda de 25,3% no lucro líquido ao alcançar R$ 3,311 bilhões no segundo trimestre de 2020 frente igual período do ano anterior.

Na comparação com os três primeiros meses de 2020, a redução foi de 2,5%.

Além da pandemia do novo coronavírus, os números da instituição também foram afetados por uma baixa contábil (impairment) de R$ 1,3 bilhão, um aumento de mais de três vezes em relação ao segundo trimestre do ano passado.

A perda foi provocada por operações realizadas com grandes empresas que já eram classificadas como ativos problemáticos, segundo o BB.

Veja o desempenho de BBAS3 versus Ibov em seis meses:

Fonte: tradingview.