BB (BBAS3) anuncia dividendos e JCP; B3 (B3SA3) aprova debêntures

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Foto: BB (BBAS3) vende carteira de crédito podre

O Banco do Brasil (BBAS3) aprovou na quarta-feira (4) a distribuição de aproximadamente R$ 212,100 milhões, a título de remuneração aos acionistas, sob a forma de dividendos, e cerca de R$ 970,400 milhões, sob a forma de Juros sobre Capital Próprio (JCP).

Os dividendos por ação são no valor de R$ 0,07433470709 e o JCP complementar, de R$ 0,34011137994. Esses valores serão imputados ao dividendo mínimo obrigatório referente ao primeiro semestre de 2021.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Os valores serão pagos pelo Banco do Brasil em 28 de maio próximo, tendo como base a posição acionária de 21 de maio.

“Adicionalmente, informamos que R$ 415.758.000,00 foram pagos, em 31/03/2021, a título de remuneração aos acionistas”, disse o Banco do Brasil, em comunicado ao mercado.

B3 (B3SA3) aprova emissão de debêntures

A B3 (B3SA3) aprovou a realização da sua quinta emissão de debêntures simples, no valor total de R$ 3 bilhões.

Serão duas séries. A primeira, com prazo de 3 anos, no montante de pelo menos R$ 1,50 bilhão, tem pagamento semestral de juros de 100% da Taxa DI (Depósitos Interfinanceiros) acrescida de spread a ser definido de acordo com o procedimento de bookbuilding e limitado a 1,25% ao ano.

A segunda série tem prazo de 5 anos, no montante de pelo menos R$ 750 milhões, com amortização em duas parcelas iguais no término do quarto e quinto ano, tem pagamento semestral de juros de 100% da Taxa DI (Depósitos Interfinanceiros) acrescida de spread a ser definido de acordo com o procedimento de bookbuilding e limitado a 1,45% ao ano.

O montante complementar de R$ 750 milhões, assim chegando aos R$ 3 bi, será alocado entre as séries, de acordo com o sistema de vasos comunicantes.

“A emissão de Debêntures”, explicou a B3, em comunicado ao mercado, “faz parte da gestão ordinária dos negócios da companhia e está alinhada às projeções de alavancagem financeira e distribuição de proventos para o exercício de 2021, quais sejam: alvo de nível de endividamento de 1,5x Dívida Total / EBITDA recorrente dos últimos 12 meses; e alvo de distribuição entre 120% a 150% do seu lucro líquido societário aos seus acionistas, na forma de juros sobre capital próprio, dividendos, recompra de ações ou outros instrumentos”.

Atom (ATOM3) antecipa data de pagamento de dividendos

A Atom (ATOM3) antecipou a data de pagamento de dividendos – no valor de R$ 6.269.698,20, correspondente a R$ 0,30 por ação. Agora, ele será efetuado em 7 de maio de 2021, e serão creditados a cada acionista segundo o número de ações ordinárias de sua titularidade na data-base de 28 de abril deste ano.

As ações da companhia foram negociadas ex-dividendos a partir de 29 de abril de 2021, inclusive.

Renova Energia (RNEW11): conselho homologa aumento de capital de R$ 334,396 milhões

O Conselho de Administração da Renova Energia (RNEW11) aprovou a homologação parcial do aumento de seu capital social, dentro do Plano de Recuperação Judicial da companhia.

O aumento de capital foi homologado com o valor de R$ 334.396.776,50, representado por 58.422.742 novas ações, sendo 19.502.468 ações ordinárias e 38.920.274 ações preferenciais.

Todos os créditos dos credores que se manifestaram durante a chamada “1ª Janela do Pedido de Conversão” foram capitalizados no aumento de capital, conforme solicitado pelos credores, informou a Renova

Assim, a dívida concursal da companhia foi reduzida em 12,6%, dando prosseguimento à consecução dos meios da sua recuperação judicial.

O capital social da Renova passa a ser de R$ 3.295.172.753,48, dividido em 100.142.466 ações, sendo 50.854.986 ordinárias e 49.287.480 preferenciais.

Irani (RANI3) aprova dividendos

A Irani (RANI3) aprovou a distribuição de dividendos intercalares, no valor total de R$ 12.884.624,76, correspondentes a R$ 0,050658 por ação, aos detentores de ações de emissão da companhia em 11 de maio de 2021.

Os dividendos serão imputados ao dividendo mínimo obrigatório eventualmente declarado pela Assembleia Geral Ordinária, informou a Irani.

O montante perfazem 25% do lucro líquido apurado nas demonstrações financeiras da Irani de 31 de março de 2021.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3