Banco Central pretende renegociar dívidas de 2 milhões de clientes este ano

Daniele Andrade
Jornalista formada pela Universidade Positivo, pós-graduada em Mídias Digitais. Atualmente cursa bacharel em História. Gosta de produzir reportagens sobre política tanto nacional quanto internacional, economia e tecnologia.
1

Crédito: Pixabay /By mohamed-hassan.

Não são só as pessoas que querem se livrar das dívidas, mas também as instituições bancárias. O diretor de Relacionamento, Cidadania e Supervisão de Conduta do Banco Central), Maurício Moura comentou sobre esse assunto em reportagem a Uol.

Segundo Moura, ao longo de 2020 os bancos vão realizar dois mutirões com foco em renegociar as dívidas de seus clientes. Cada um deles será realizado nos dois semestres do ano. A expectativa é que cada evento possa atender pelo menos um milhão de pessoas. Com foco apenas nas dívidas de pessoa física, não das empresas.

Para se ter ideia do quanto os multirões dão bons resultados, em 2019 um dos eventos atendeu 820 mil pessoas. E, foi possível renegociar R$ 4,5 bilhões de dívidas. 

Análises e Resumos do mercado financeiro com leituras de 5 minutos. Conheça a EQI HOJE

As pessoas que foram a feira realizaram as negociações, conseguiram um desconto em torno de 65% das dívidas. Além do prazo para pagamento em até 58 parcelas. 

Nos mutirões os bancos chegaram a oferecer até 92% de descontos nas dívidas aos clientes, dependendo de cada caso. Na realização do primeiro multirão de 2019, um vídeo sobre educação financeira foi transmitidos aos presentes. 

Com o objetivo de passar lições e melhorar a educação financeira, 560 mil pessoas tiveram acesso ao vídeo nas agências dos bancos que participaram do evento. Na internet, o mesmo vídeo chegou a ser visto 173 milhões de vezes.