B3 (B3SA3) atribui como perda possível multa da Receita sobre ágio em fusão

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução/Facebook

A B3 (B3SA3) informou, nesta quarta-feira (3), que passará a classificar como risco de perda possível aos referidos processos em suas demonstrações, após a avaliação, em conjunto com os seus assessores legais, da sentença desfavorável em primeira instância na ação anulatória.

No dia 18 de maio, a 6ª Vara Federal Cível da Seção Judiciária do Distrito Federal negou o pedido de anulação de multa da Receita Federal. O valor atualizado da ação é de R$ 1,3 bilhão.

A Receita questiona a amortização, para fins fiscais, nos exercícios de 2008 e 2009, do ágio gerado quando da incorporação de ações da Bovespa Holding pela B3.

Conforme o comunicado, a empresa reafirma seu entendimento de que o ágio foi constituído em conformidade com a legislação fiscal.

Sanepar (SAPR4) distribui JCP

O Conselho de Administração da Sanepar aprovou, nesta quarta-feira (3), o pagamento de Juros Sobre Capital Próprio referente a 2019.

A Sanepar também aprovou a contratação de operação de crédito, no valor de R$ 200 milhões, junto ao BTG Pactual.

A Cédula de Crédito Bancário (CCB) terá o prazo total de 2 anos.