B3 (B3SA3) pagará R$ 140 mi para encerrar litígio; CVC (CVCB3) levanta R$ 295 mi

Osni Alves
Jornalista (2007); Especializado em Comunicação Corporativa e RP (INPG, 2011); Extensão em Economia (UFRJ, 2013); Passou por redações de SC, RJ e BH (oalvesj@gmail.com).
1

A B3 (B3SA3) firmou acordo judicial com a massa falida de Spread Commodities Mercantil e Corretora de Mercadorias.

A celebração implicará no pagamento de aproximadamente R$ 140 milhões pela B3 e tem como objetivo a extinção do processo.

A execução corria na 3ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais da Comarca da Capital do Estado de São Paulo.

BDRs| Confira os papéis disponíveis para Investimentos

B3 (B3SA3) pagará R$ 140 mi para encerrar litígio

Conforme fato relevante da B3, divulgado nessa segunda-feira (31), o litígio tinha risco de perda classificado como provável, tendo seu montante total provisionado em R$ 379 milhões.

A massa falida entendia ter direito relacionado a títulos patrimoniais de emissão da Associação BM&F, correspondentes, atualmente, a 4.908.015 de ações da B3.

CVC (CVCB3) levantou R$ 295 mi em subscrição

A CVC (CVCB3) encerrou, em 25 de agosto, o período para subscrição privada das sobras do primeiro rateio de ações ordinárias,  nominativas, escriturais e sem valor nominal.

O comunicado, divulgado nesta segunda-feira (31), trata do aumento do capital social da companhia, com a atribuição de um bônus de subscrição, em série única.

Foram subscritas 2.032.646 novas  ações  ao preço de emissão de R$ 12,84 por ação, totalizando R$ 26.099.174,64.

Em conjunto com as ações subscritas no período para exercício do direito de preferência, já foram subscritas 22.987.258 novas ações, totalizando R$ 295.156.392,72.

CVC (CVCB3) levanta R$ 295 mi

As sobras subscritas do primeiro rateio, em conjunto com as ações subscritas no período para exercício do direito de preferência findo em 13 de agosto de 2020, correspondem a 97,8181191489362% da quantidade máxima de ações permitida no âmbito do aumento de capital, isto é, 23.500.000 ações ordinárias.

O preço de emissão das sobras do segundo rateio será o mesmo preço de emissão, R$ 12,84 por ação.

Como resultado da subscrição das sobras subscritas do primeiro rateio, foram também atribuídos aos subscritores das novas Ações 2.032.646 bônus de subscrição, na proporção de um bônus de subscrição para cada uma ação subscrita.

Cada bônus de subscrição confere ao seu titular o direito de subscrever 1,33 ação ordinária.