B3 (B3SA3) número de investidores sobe 54% em abril na comparação anual

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Arte / EQI

A B3 (B3SA3) divulgou nesta quarta-feira (12) os destaques operacionais de abril de 2021, com alta de 54,2% no número de investidores ativos, em comparação com o mesmo mês de 2020. Hoje, são 3.721.651 investidores, contra 2.413.924 de um ano atrás. A comparação com março também mostra evolução nesse quesito, de 3,5%.

O número de empresas listadas também cresceu. Passou de 391 para 429, na mesma comparação de períodos, um aumento de 9,7%.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

No mercado à vista, foram movimentados, na média diária R$ 31,501 bilhões, contra R$ 27,817 bilhões diários de abril de 2020, uma alta de 13,2%. Na comparação com março de 2021, porém, houve queda de 14,4%.

A capitalização média de mercado cresceu 59%, passando de R$ 3,302 bilhões para R$ 5,251 bilhões.

Copel (CPLE6): BNDESPar aprova regras para vendas de Units da companhia

A Copel (CPLE3, CPLE5, CPLE6, CPLE11) recebeu hoje da acionista BNDES Participações (BNDESPar) carta aprovando as regras para a venda de units da empresa.

A BNDESPar escolheu o Banco BTG Pactual (BPAC11) para atuar como coordenador líder de oferta pública secundária para a alienação de até a integralidade da participação detida na Copel. São 24% do seu capital social da empresa de energia.

“A alienação se dará por meio de oferta pública no Brasil, e mediante registro da oferta na U.S. Securities and Exchange Commission, no exterior”, informou a BNDESPar.

“O lote base da oferta pública será de até 78.811.022 (CPLE11), equivalentes a até 14,4% do capital social total, e o lote adicional será de até 15.762.205 units, correspondentes a até 2,9% do capital social total; atingindo o montante de até 94.573.227 units, representativas de até 17,3% da Copel”, seguiu.

O lote base será composto por 28.992.446 units de titularidade do Estado do Paraná e até 49.818.576 units de titularidade da BNDESPar. O lote adicional será composto integralmente por units de titularidade da BNDESPar.

Por fim, determinou-se que os acionistas vendedores ficarão impedidos de negociar units ou ações de emissão da Copel por um prazo mínimo de 180 dias após o encerramento da oferta (lock-up).

A BNDESPar reitera, porém, que o lançamento da oferta pública está sujeito a diversos fatores, entre os quais a existência de condições de mercado favoráveis, notadamente de preço, a aprovação de sua governança interna e a análise da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e dos demais órgãos reguladores e autorreguladores, nos termos da legislação aplicável.

Gafisa (GFSA3) informa nova política de ESG

A Gafisa (GFSA3) comunicou nesta quarta-feira (12) a adoção de nova política (Environmental, social and corporate governance) para melhoria e expansão das boas práticas exercidas.

“Reafirmando o seu compromisso com as boas práticas ambientais, sociais e de governança corporativa, a companhia avança para uma nova etapa em sua trajetória sustentável, a partir da definição de uma nova política ESG”, disse, em comunicado ao mercado. “Os novos parâmetros da política ESG Gafisa têm o objetivo de promover movimentos contínuos, que impactem todos os stakeholders de seu ecossistema com transparência, responsabilidade e olhar para o futuro”.

A empresa segue, afirmando que, a partir da consultoria especializada do Centro de Tecnologia de Edificações (CTE), “realizamos diagnósticos, desenvolvemos novos objetivos e, por fim, desenvolvemos novos Planos de Ação e Capacitação. Em paralelo, uma nova equipe de colaboradores dedicada aos temas de ESG está sendo preparada a fim de viabilizar a consolidação, implementação e medição de eficácia das atividades propostas”. O documento original pode ser lido aqui.

Celesc (CLSC3 CLSC4) emite debêntures

A Celesc (CLSC3 CLSC4) aprovou a sua 4ª Emissão de Debêntures, com o valor total de captação de R$ 550 milhões.

A emissão será de série única, onde cada debênture terá valor unitário de R$ 1 mil, sem atualização monetária. Serão emitidas 550 mil, na data de 15 de maio de 2021, com prazo de vencimento de cinco anos, ou seja, para 15 de abril de 2026.

Sobre o valor unitário ou o saldo incidirão juros remuneratórios correspondentes à variação acumulada de 100% das taxas médias diárias do DI –Depósito Interfinanceiro de um dia, acrescida de sobretaxa (spread) equivalente a 2,60%.

O rating da emissão, pela Fitch, é AA.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3