B3 (B3SA3) muda dinâmica de atualização de regulamentos e manuais

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor

Crédito: Reprodução / Facebook / B3

A administração da B3 (B3SA3) informou nesta segunda-feira (22) que vai passar a divulgar todas as atualizações de regulamentos e manuais com uma versão com marcas, as track changes.

“A mudança ajudará o mercado a identificar as alterações implementadas no normativo, além de dar mais transparência na divulgação das informações”, diz a B3. “O primeiro documento publicado com marcas é o Manual de Procedimentos Operacionais da Câmara BM&FBOVESPA”.

A mudança faz parte do que a B3 chamou de Simplifica B3.

O Simplifica B3

A iniciativa foi criada em 2020.

O principal objetivo é simplificar processos e melhorar a percepção dos clientes, “em melhorias através da redução de burocracia e otimização de atividades”.

“Em janeiro, os colaboradores foram convidados a participar do programa e recebemos 500 ideias dos mais variados temas”, informa a empresa que administra a bolsa de valores brasileira. “Um grupo multidisciplinar foi criado para selecionar as sugestões com maior relevância e transformação positiva na experiência dos nossos clientes com a B3”.

Segundo a B3, “foram selecionadas 70 iniciativas que serão implementadas em 4 ondas ao longo dos próximos 12 meses”.

Temas

Os temas do Simplifica B3 são normativos, eliminação de documentos físicos, Unidade de Financiamento (UFIN), Onboarding de novos Participantes, infraestrutura, fluxo financeiro e produtos.

“O Simplifica faz parte de um conjunto de ações que a B3 está realizando desde a criação da nova companhia em 2017, para fortalecermos nossos processos e trazermos ainda mais eficiência e proximidade com nossos clientes”, informa a empresa em nota.

Tarifas

Em 2 de janeiro de 2020, a B3 também informou sobre a redução e simplificação de tarifas.

Os principais impactos das mudanças concentram-se sobre o pequeno investidor de varejo.

Entre as alterações, está a taxa de manutenção de conta, que chega atualmente a R$ 110 por ano e será zerada.

Além disso, a tarifa de negociação de ações tinha como meta cair cerca de 10% para pessoas físicas em geral.

As reduções podem representar cerca de menos R$ 250 milhões em tarifas pagas por investidores.

“Esse conjunto de medidas atinge cerca de 65% da base de investidores pessoa física que hoje têm saldo em contas de renda variável na B3”, afirmou a companhia no comunicado.