B3 (B3SA3): exercício de opções sobre ações movimenta R$ 10,4 bilhões

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

O exercício de contratos de opções sobre ações movimentou na B3 (B3SA3) R$ 10.468.790.923,51, dos quais R$ 2.200.142.485,27 em opções de compra e R$ 8.268.648.438,24 em opções de venda.

As informações são da B3 (B3SA3).

A seguir, as opções que registraram o maior volume financeiro no exercício de hoje:

Confira principais Ações para investir em Outubro

BOVAE CI R$ 98,00 por cota movimentou R$ 289.463.580,00 em opções de venda;
BOVAE CI R$ 97,00 por cota movimentou R$ 225.379.500,00 em opções de venda;
ITUBE PN R$ 24,32 por ação movimentou R$ 197.016.320,00 em opções de venda;
VALEE ON R$ 61,80 por ação movimentou R$ 156.187.140,00 em opções de venda;
ITUBE PN R$ 33,07 por ação movimentou R$ 149.320.971,00 em opções de venda.

B3 (B3SA3): diminuição no lote mínimo de BDRs e ETFs

A B3 (B3SA3) anunciou nesta quinta-feira (17) que vai reduzir os lotes padrões de BDRs e ETFs de renda variável a partir de 28 de setembro.

A mudança deve atrair investimentos de pessoas físicas, público que tem crescido na bolsa.

Monitore completamente sua Carteira

A alteração vai afetar a quantidade mínima de BDRs do tipo não patrocinado nível 1, ETFs de renda variável e opções sobre ETFs de renda variável, indo de 10 para 1 unidade. BDRs patrocinados nível 2 ou 3 também diminuem ao passar de 100 unidades para apenas uma.

De acordo com Felipe Paiva, diretor de Relacionamento com Clientes da B3, essa era uma das alterações aguardadas para o mercado de BDRs.

“Associada à constante revisão da paridade dos programas, [a alteração] cria melhores condições de acesso aos investidores pessoas físicas nas ações internacionais e, consequentemente, dos investidores institucionais. É mais um importante passo para impulsionar a liquidez e volumes do produto”, comentou.

As mudanças para BDR são relevantes para o momento que o mercado de capitais se encontra. Conforme o comunicado, a CVM ainda está para aprovar o regulamento e manual do emissor da B3 para disponibilizar o produto ao investidor pessoa física.

Liberação do BDR

A CVM mudou a regra de acesso aos BDRs para incluir o investidor pessoa física no início no dia 11 de agosto.

A nova regra entrou em vigor o primeiro dia de setembro, mas o produto só será disponibilizado após a validação da autarquia pela CVM.

“Sempre em parceria com a CVM e com o mercado trabalhamos de forma bastante cuidadosa para que todos esses passos fossem dados. Nossa expectativa é que no mês de outubro as pessoas físicas possam efetivamente investir em ações internacionais”, afirma Mario Palhares, diretor de Produtos Listados da B3.

Por fim, as alterações e novas regras dão espaço para o desenvolvimento do mercado de ETFs no Brasil. A CVM aprovou ETFs estrangeiros e títulos de dívida lastros dos BDRs.

De acordo com Paiva, “essas alterações são uma excelente oportunidade para ampliar as alternativas de investimentos no país e fortalecer, ainda mais, o mercado financeiro e de capitais brasileiro”.

Fusões e aquisições estão em alta lá fora: confira as maiores transações

Oi (OIBR3; OIBR4): três coisas que você precisa saber antes de comprar