B3 (B3SA3) desdobra ações e paga dividendos extraordinários de R$ 1,19 bi

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Reprodução/B3

A B3 (B3SA3) informou nesta quinta-feira (4) que pretende fazer a distribuição de dividendos extraordinários, que será submetida à Assembleia Geral Ordinária de 2021, no montante total de R$ 1,189 bihão.

De acordo com a B3, os valores referem-se às contas de lucros acumulados e reserva de lucros, equivalentes ao valor de R$ 0,584956606 por ação.

Conforme a B3, os valores por ação são estimados e poderão ser modificados em razão da alienação de ações em tesouraria para atender ao Plano de Concessão de Ações da Companhia ou outros planos baseados em ações.

Não Perca! Começa hoje o evento que vai transformar sua visão sobre Fundos de Investimento Imobiliário

Os pagamentos serão realizados em 07 de maio de 2021 e tomarão como base de cálculo a posição acionária de 24 de março de 2021.

Dividendos B3 (B3SA3)

Ainda de acordo com a B3, referente aos resultados de 2020, serão distribuídos dividendos de R$ 4,152 bilhões, dos quais R$ 3,353 bilhões já foram pagos por meio de dividendos e juros sobre capital próprio durante o exercício de 2020.

Assim, resta um saldo de R$ 798,514 milhões a título de dividendos, equivalentes ao valor, estimado, de R$ 0,392617730 por ação.

O pagamento será realizado em 08 de abril de 2021, com base na posição acionária de 24 de março de 2021.

Ademais, as ações da companhia serão negociadas na condição “com” até o dia 24 de março, inclusive, e na condição “ex” dividendo a partir do dia 25 de março.

Destinação do caixa da B3 em 2020

De acordo com B3, os altos volumes negociados nas plataformas ao longo de 2020 contribuíram para um sólido desempenho financeiro e geração de caixa robusta, que totalizou R$ 6,1 bilhões.

Os proventos distribuídos aos acionistas no exercício de 2020 somaram R$ 6,2 bilhões (R$ 1,2 bilhões em JCP, R$ 4,1 bilhões em dividendos, e R$ 0,9 bilhões em recompras de ações).

Reprodução/B3

B3 desdobrará ações

A operação de desdobramento de ações tem a finalidade de adequar o patamar das cotações das ações, tornando-as mais acessíveis aos investidores.

Após o pregão de quinta-feira, 4 de março de 2021, com queda de 1,94%, as ações da B3 passaram a valer R$ 55,49.

Caso a operação proposta seja aprovada pela AGE, será realizado o desdobramento da totalidade da ações ordinárias, na proporção de uma para três ações da mesma espécie, sem modificação do valor do capital social da companhia.

Deste modo, o capital social permanecerá em R$ 12,548 bilhões. A B3 passaria a ter no mercado 6.126.000.000 ações ordinárias.

Programa de Recompra

A B3 informou também sobre o Programa de Recompra: administração da estrutura de capital da companhia, combinando recompras de ações e distribuições de proventos para “retornar capital aos acionistas”.

A quantidade máxima de ações a serem adquiridas e de até 27,6 milhões, do montante total em circulação no mercado de 2,039 bilhões de ações.

Já considerando o cancelamento, são 8.178.179 ações em tesouraria.

De acordo com as informações financeiras mais recentes, a B3 possuía reservas de capital no montante de R$ 9,1 bilhões.

Cancelamento de ações

a aprovação do cancelamento de ações da companhia mantidas em tesouraria e a submissão da proposta de desdobramento de suas ações à apreciação da Assembleia Geral Extraordinária (AGE) a ser realizada em 29 de abril de 2021.

Segundo a administradora da Bolsa de Valores de São Paulo, “o cancelamento de ações considerou a posição de ações em tesouraria, o programa de recompra, bem como o objetivo de garantir o cumprimento dos programas de concessão de ações existentes atualmente”.

Assim, a B3 vai cancelar 17.138.490 ações atualmente mantidas em tesouraria.

“Diante disso, após o referido cancelamento de ações”, segue a empresa, “o capital social da companhia passará a ser dividido em 2.042.000.000 ações ordinárias”.

Lucro no 4TRI20

A B3 registrou um lucro líquido de R$ 1,159 bilhão no quarto trimestre de 2020. Isso representa crescimento de 34,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

No ano, o lucro líquido somou R$ 4,2 bilhões, um aumento de 52,9% na comparação com 2019.

O resultado financeiro foi positivo em R$ 63,5 milhões no quarto trimestre do ano passado, elevação de 76,4% sobre os ganhos financeiros do quarto trimestre de 2019.