B3 (B3SA3) tem alta de 21% no lucro do 2TRI21

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Reprodução/B3

A B3 (B3SA3) registrou lucro líquido recorrente 21,6% maior no segundo trimestre de 2021 (2TRI21).

O indicador cresceu de R$ 1,012 bilhão para R$ 1,231 bilhão ao fim do 2TRI21. O resultado veio acima do consenso, que previa R$ 1,07 bilhão.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

O resultado, segundo a empresa, é reflexo do desempenho operacional positivo da companhia em todas as linhas de negócio no trimestre.

B3 (B3SA3): principais números do balanço do 2TRI21

Lucro líquido recorrente

  • Lucro 2TRI21: R$ 1,231 bilhão
  • Lucro 2TRI20: R$ 1,012 bilhão

Ebitda recorrente

  • Ebitda 2TRI21: R$ 1,853 bilhão
  • Ebitda 2TRI20: R$ 1,419 bilhão

Receita líquida

  • Receita 2TRI21: R$ 2,675 bilhões
  • Receita 2TRI20: R$ 2,129 bilhões

Receita da B3 sobe 25%

A receita total líquida da B3 (B3SA3) cresceu 25,7% no 2TRI21.

O indicador passou de R$ 2,129 bilhões para R$ 2,675 bilhões.

O Ebitda subiu de R$ 1,419 bilhão para R$ 1,853 bilhão. Já a margem EBITDA recorrente foi de 80,9%, alta de 658 bps.

O resultado financeiro da B3 (B3SA3) ficou positivo em R$132,1 milhões no 2T21.

As receitas financeiras atingiram R$ 179,8 milhões, aumento de 68,4%, explicado (i) pelo aumento na taxa de juros, (ii) aumento no saldo de aplicações financeiras e (iii) pelo reconhecimento de R$37,9 milhões em receita com juros da recuperação de despesa de PIS e Cofins incidentes sobre o ganho de capital na venda de participação acionária do CME Group.

As despesas financeiras, por sua vez, somaram R$ 125,3 milhões, aumento de 57,2%, explicado principalmente pelo aumento do endividamento da companhia.

Projeções para 2021

A B3 projeta alavancagem de até 1,5x dívida bruta / EBITDA recorrente dos últimos 12 meses. E ainda Investimentos de R$420 milhões a R$ 460 milhões.

As Despesas atreladas ao faturamento (R$225 milhões até R$265 milhões); (iv) Depreciação e amortização (R$1.060 milhões até R$1.110 milhões); e (v) Distribuição de lucro aos acionistas (120% – 150% do lucro líquido societário). REVISADO: Orçamento de despesas operacionais ajustadas2 de R$1.295 milhões até R$1.345 milhões (anteriormente R$1.225 milhões até R$1.275 milhões) (R$1.175 milhões em 2020).

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3