B2W (BTOW3) e Americanas (LAME4) propõem combinação de negócios

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 8 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Certificações: CPA-10, CPA-20 e AAI. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Arte / EQI

A Lojas Americanas (LAME4) e B2W (BTOW3) anunciaram nesta quarta-feira (28) que firmaram acordo para combinação das operações, dando origem à nova empresa Americanas.

A proposta encaminhada pelos Conselhos de Administração da Lojas Americanas e da B2W será votada nas Assembleias Gerais Extraordinárias no dia 10 de junho.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

De olho em retomada do comércio, setor de varejo une forças

De acordo com o comunicado, a relação de troca proposta é de 0,18 ação da B2w por 1 da Lojas Americanas (LAME4).

Em fato relevante, as companhias explicaram que o processo se dará em duas etapas.

Veja a íntegra do comunicado aqui

Na primeira etapa ocorre a combinação e integração dos negócios, com os ativos operacionais de Lojas Americanas sendo incorporados pela B2W, criando a Americanas S.A, nova companhia 100% integrada (Físico, Digital, Logística e Fintech) em uma única plataforma.

Lojas Americanas (LAME4) registra alta de 0,6% no lucro no 4TRI

Alto nível de governança corporativa

A Americanas será listada no Novo Mercado da B3, o mais alto nível de governança corporativa.

A Lojas Americanas (LAME3 e LAME4) seguirá listada no Nível 1, de forma transitória, como um “veículo de investimento” com participação na Americanas s.a..

B2W (BTOW3) reverte prejuízo e lucra R$ 15,6 mi no 4TRI

Isso tem o objetivo de maximizar a experiência do cliente, continuar a missão de criação de valor no longo prazo e criação de um motor de M&A ainda mais poderoso. De acordo com a B2EW, esta fase acontece em aproximadamente 40 dias.

Na segunda etapa, a Lojas Americanas S.A. pretende criar um veículo no exterior para listagem nos EUA que se chamará Americanas inc.

Conforme a nota, essa fase tem como objetivo elevar a história de investimento da companhia para um patamar global e promover o alinhamento estratégico de longo prazo com os acionistas.

A estimativa é que esta fase seja concluída em menos de 1 ano.

De acordo com a B2W, a combinação das operações é uma oportunidade única de acelerar a evolução dos negócios.

Americanas S.A. uma “companhia mais poderosa”

A nova companhia será mais poderosa e mais valiosa do que a combinação das partes, pois representará o resultado de uma soma contínua, um novo ecossistema totalmente integrado para gerar valor, com base em cinco pilares: efeito de rede, tecnologia proprietária, economia de escala, marca reconhecida, e uma plataforma de M&A ainda mais forte.

A Americanas s.a. iniciará uma nova jornada de criação de valor, com o cliente no centro da estratégia e alinhada a uma forte agenda de ESG.

Com um time de 34 mil associados com cultura de dono, a Americanas S.A já nascerá com mais de 90 milhões de clientes cadastrados sendo 46 milhões de clientes ativos, 1.707 lojas de 5 diferentes formatos presentes em 765 cidades, uma plataforma digital completa que conecta compradores e vendedores, uma fintech com mais de 19 milhões de downloads e aceitação em 3 milhões de estabelecimentos, uma plataforma de logística e fulfillment com capilaridade nacional.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3