Azul (AZUL4) reporta liquidez de R$ 2,3 bilhões ao final do 3TRI

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Foto: Azul (AZUL4) e Latam anunciam acordo de codeshare

A Azul (AZUL4) reportou que, em 30 de setembro último, somou liquidez de R$ 2,3 bilhões, ante R$ 2,25 bilhões apurados no segundo trimestre.

São números preliminares e não auditados, ressalva a Azul.

Aumento de caixa de R$ 1,5 milhão por dia

A Azul lembrou que havia previsto originalmente um consumo de caixa de aproximadamente R$ 3 milhões por dia para o segundo semestre do ano.

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

No entanto, apresentou um aumento de caixa de aproximadamente R$ 0,7 milhão por dia no terceiro trimestre.

O número, assinala a companhia, exclui indenizações trabalhistas.

“Dessa forma, tivemos aumento de caixa de R$ 1,5 milhão por dia”, afirma o comunicado da empresa.

“O ótimo desempenho de liquidez está relacionado com a implementação eficaz do plano de retomada”, prossegue a nota.

“Refletiu no resultado, ainda, a recuperação de demanda mais rápida do que a esperada”, adiciona.

IATA: crise de caixa ameaça as companhias aéreas

“Liquidez suficiente para mais 30 meses sem aumento de capital”

Assim, para o quarto trimestre, a Azul estima “queima de caixa média de R$ 2,5 milhões por dia, sem amortizações significativas de dívidas.”

A Azul reforça: “Nos últimos seis meses, apesar da pandemia, a companhia manteve sua posição de caixa estável.”

Acrescenta: “As projeções internas mostram liquidez suficiente para mais de30 meses sem aumento de capital.”

Porém, a Azul avalia fontes de capital para fortalecer seu balanço e aproveitar oportunidades de mercado.

“A estrutura de custos mais eficiente, com o retorno da demanda, indica que aumengtaremos a rentabilidade, afirmou  Alex Malfitani, CFO da Azul.

Mini-índice Bovespa: o que é e como funciona esse minicontrato

Melhor investimento: onde investir durante e após a crise

Receita líquida: o que é e para que serve esse indicador