Azul (AZUL4): demanda em março cai 8,9% em relação ao mesmo mês de 2020

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação / Azul

A Azul (AZUL4) registrou demanda total 8,9% menor em março de 2021 em relação ao mesmo mês de 2020. A taxa de ocupação caiu 2,2 pontos percentuais.

Já o tráfego de passageiros doméstico (RPKs) aumentou 11,2% em relação a março de 2020, frente a um aumento de 15,4% na capacidade doméstica (ASKs), resultando em uma taxa de ocupação de 71,7%, 2,7 pontos percentuais abaixo do mesmo período de 2020.

O tráfego de passageiros internacional caiu 89,3% em março de 2021 no comparativo com março de 2020.

No consolidado do primeiro trimestre de 2021 a Azul registrou queda de 27,3% na demanda total em relação ao mesmo período do ano passado.

O RPK doméstico caiu 7,3% e o indicador internacional caiu 90,4% no consolidado do terceiro trimestre de 2021.

“Em março, ajustamos proativamente nossa capacidade em resposta à segunda onda da pandemia no Brasil. Embora a demanda tenha sido impactada pelas medidas de quarentena implementadas em todo o país, a força e a conectividade de nossa malha, em conjunto com a flexibilidade da nossa frota, resultaram em um crescimento de 11% da demanda doméstica  em comparação a março de 2020. Continuamos a gerenciar ativamente a capacidade durante esta fase da pandemia, sempre garantindo que esteja adequada à demanda e  contribua para  nossa  posição  de  liquidez. Temos  alguns  meses  desafiadores  pela  frente,  mas como demonstrado ao longo desta crise, nosso modelo de negócio é resiliente e nos beneficiará durante a retomada da demanda no segundo semestre deste ano”, disse John Rodgerson, CEO da Azul.

Even (EVEN3) vendas líquidas totalizaram R$ 587milhões, VSO consolidada de 24%

A Even (EVEN3) registrou vendas líquidas totais de R$ 587 milhões no primeiro trimestre de 2021.

A empresa divulgou nesta quinta-feira (08) os resultados operacionais do período e informou que obteve VSO consolidado de 24%.

Os lançamentos totalizaram R$ 716 milhões.

A geração de caixa da empresa ficou em R$ 253 milhões no 1TRI21.

Agrogalaxy (AGXY3) informa aquisição de 30% de participação da Sementes Campeã

A Agrogalaxy (AGXY3) comunicou que, por meio de sua controlada Rural Brasil S.A., adquiriu 30% do capital social total da Campeã Agronegócios S.A., passando a deter, indiretamente, a totalidade do capital social da Sementes Campeã.

A aquisição envolve o pagamento de R$ 12.300.000,00, refletindo a estratégia da companhia de consolidação como uma das maiores plataformas de varejo de insumos agrícolas e serviços voltados para o agronegócio brasileiro.

A Agrogalaxy também informou que, em 01 de abril de 2021, através de Assembleia Geral Extraordinária, foi aprovada a alienação de 244.720 ações ordinárias mantidas em tesouraria ao Sr. Marcelo Vendrame, fundador da Sementes Campeã, que segue como diretor comercial da unidade de negócios.