Ataque cibernético contra empresa de energia faz Ucrânia buscar ajuda do FBI

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.

Crédito: Reprodução/Wikipedia

O governo da Ucrânia recorreu ao FBI, polícia federal dos Estados Unidos, para encontrar os culpados por um ataque cibernético à empresa de energia Burisma.

De acordo com informações do Ministério do Interior do país do Leste europeu à Agência Reuters, o ataque teria sido praticado por hackers militares russos.

De acordo com a empresa de segurança cibernética Area 1 Security, com base na Califórnia, o ataque à Burisma estava vinculado ao Diretório Principal de Inteligência Militar da Rússia, ou GRU.

“Note-se que o ataque de hackers provavelmente foi cometido pelos serviços especiais russos”, disse Artem Minyailo, funcionário do Ministério do Interior da Ucrânia, em comunicado.

A investigação também se estende a uma possível vigilância ilegal feita em cima da então embaixadora norte-americana em Kiev, Marie Yovanovitch, após mensagens contidas em documentos divulgados pelo Congresso dos Estados Unidos nessa semana.

A Burisma, empresa que teria sido vítima do ataque hacker, é a mesma que esteve no centro da confusão em que Donald Trump se colocou ao pedir ao governo da Ucrânia o início de uma investigação sobre o rival político Joe Biden.

Sem comentários

O Ministério da Defesa da Rússia não respondeu, ao menos até o momento, sobre as acusações da empresa de segurança Area 1 Security.

 


Aproveite as oportunidades e aumente a rentabilidade dos seus investimentos.

Preencha seus dados abaixo e conte com especialistas para ajudar.

Se preferir, ligue direto para 4007-2374