Arezzo (ARZZ3): ação fecha com alta de 16,04% com compra do grupo Reserva

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

A ação da Arezzo (ARZZ3) fechou com alta de 16,04% ao final do pregão por causa do anúncio de aquisição do grupo de moda carioca Reserva na manhã desta sexta-feira (23).

O acordo foi aprovado pelo Conselho de Administração da companhia em reunião realizada na véspera.

Por volta das 13h20, o papel da Arrezo subia 9,28%.

Conheça a FinTwit, o maior fórum de finanças do mundo.

Hoje o Twitter é pauta na Money Week.

Os bancos abriram mistos, mas viraram para cima, com Santander (SANB11) liderando os ganhos (+3,30%) devido as projeções positivas realizadas pelo BB e pelo Bradesco BBI.

O Bradesco BBI espera que o Santander apresente o melhor conjunto de indicadores entre os bancos.

O Itaú (ITUB4) subia 0,81%, Bradesco (BBDC4) +1,50%,  e Banco do Brasil (BBAS3) +1,10%.

Petrobras (PETR4) avança 0,72%. Hoje a estatal informou que concluiu, por meio da sua subsidiária Petrobras Global Finance (PGF), a oferta de global notes no mercado internacional, no valor de US$ 1,0 bilhão, através da reabertura dos títulos PGF 5,60% Global Notes, com vencimento em janeiro de 2031.

Light (LIGT3) informou que o empresário Carlos Alberto da Veiga Sicupira aumentou sua participação na empresa, atingindo fatia de 9,9%. Com isso, a ação sobe 0,93%.

Já Cemig (CMIG4) opera com leve alta de 0,36%.

Maiores quedas da bolsa

As maiores baixas do índice são Notre Dame Intermédica (GNDI3), com queda de 1,45%, Localiza (RENT3) -1,48%, BRF (BRFS3) -1,06%, Energisa (ENGI11) -1,15% e Cyrela (CYRE3) -1,47%.

A Klabin (KLBN11) também recua apesar das boas perspectivas em relação ao seu balanço do terceiro trimestre. Ação cai 1,15%.

De acordo com analistas ouvidos pelo Valor, a Klabin (KLBN11) deve apresentar forte desempenho operacional em seu balanço do terceiro trimestre, que será divulgado na segunda-feira (26). A companhia foi beneficiada no período principalmente por vendas superiores de celulose, melhor mix, preços e volumes mais elevados de papéis e embalagem.

O papel da Suzano (SUZB11) acompanha seu par Klabin e recua 1,09%.

Mais destaques da bolsa

Foi aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) a venda da Biopalma, da Vale (VALE3) para a Brasil Bio Fuels (BBF). A empresa havia sido adquirida em 2011 por US$ 173,5 milhões. O valor da venda atual não foi revelado. A BBF tem sede em Roraima e atua no mercado de biocombustíveis. Com isso, a ação da mineradora recua 0,86%.

A ação da Ânima (ANIM3) opera estavél (0,00%) com proposta de aumento de capital, depois de fechar negócio com a Laureate.

O BTG Pactual (BPCA11) classificou como “de execução impecável” o plano de recuperação judicial da Oi (OIBR4), mas isso não animou muito os investidores, o papel recua 0,43%.

Equatorial (EQTL3) informou um aumento de 4,3% na energia vendida no trimestre. Papel recua 0,24%.

JBS (JBSS3) cai 0,91%, a empresa divulgou uma carta do acionista SPS, que se mostra contra a proposta da BNDESPar de abrir nova ação indenizatória contra representantes da controladora J&F.

BR Distribuidora (BRDT3) encerrou contrato de OC-CMB (óleo combustível com controle de metais e baixo teor de enxofre) para atendimento às térmicas vencedoras de leilões de energia. A ação da companhia sobe 0,48%.

O contrato celebrado previa o prazo de duração de 5 anos, a partir de sua assinatura, e vigência até março de 2022 e valor total estimado de R$ 4,160 bilhões.

Conforme reportagem do Valor, a Ablos, representante dos lojistas satélites, pediu redução no horário de funcionamento dos shoppings, alegando que a operação por 12 horas ao dia não tem compensado. Isto porque a demanda ainda avança lentamente.

BR Malls (BRML3) tem leve alta de 0,11%, enquanto Multiplan (MULT3) recua 0,32% e Iguatemi (IGTA3) cai 0,30%.