Argentina terá poder de decisão sobre ampliação de acordo comercial entre Índia e Mercosul

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Reprodução / Wikimedia Commons

O estreito relacionamento entre os governos de Brasil e Índia e os indícios de que haverá ampliação do acordo comercial entre os países do Mercosul e o asiático ainda não devem ser comemorados.

De acordo com informações do Correio Braziliense, essa ampliação sobre preferências tributárias ainda precisa da aprovação de outros países membros do Mercosul, em especial, da Argentina.

Como a relação entre o governo de Jair Bolsonaro e o de Alberto Fernández não é das mais amistosas, a previsão é de que a Argentina, que passa por grandes reformas com o novo presidente, possa endurecer o “jogo”.

Descubra novos caminhos para multiplicar seu patrimônio. Aprenda hoje a investir R$ 300 mil com os melhores desempenhos.

Durante a visita à Índia, Bolsonaro foi questionado a respeito do assunto e disse somente que espera que a Argentina continue apoiando as negociações em curso que o bloco vem tentando ampliar.

“Espero que a Argentina não crie problemas no Mercosul e continue agindo em bloco como todo mundo”, resumiu.

Em 2019 o Mercosul fechou dois importantes acordos de livre-comércio: o primeiro com a União Europeia e o segundo com a Associação Europeia de Livre Comércio (EFTA), bloco integrado por Suíça, Noruega, Islândia e Liechtenstein.