Argentina firma pacto social com “mensagem contundente” aos credores, diz Fernández

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: EMILIANO LASALVIA/AFP

O presidente Alberto Fernández firmou um pacto social com empresários e sindicalistas da Argentina para mandar uma “mensagem contundente” aos credores do país.

A informação foi divulgada nesta quinta-feira (2) pela Agência Reuters, que frisou a necessidade de a atitude do novo governo focar primeiro nas necessidades do país e, depois, no pagamento da dívida.

A equipe econômica do novo governo está negociando com o FMI (Fundo Monetário Internacional) e com detentores de títulos privados a diminuição da dívida antes das maiores parcelas vencerem, algo que deve acontecer no segundo trimestre de 2020.

“É a primeira vez que empresários, trabalhadores e o Estado se reúnem para dizer aos credores que… a Argentina deve crescer primeiro e depois cumprir suas obrigações. Essa foi uma mensagem muito contundente para o Fundo e para os credores”, disparou Fernández, à Rádio 10.

Alberto Fernández já havia anunciado, na última semana, ter apoio de empresários e sindicatos ao documento intitulado “Compromisso Argentino pelo Desenvolvimento e à Solidariedade”.

Segundo o documento, “a vontade de pagar requer condições compatíveis com a atenção da dívida social e o crescimento da economia… Sem isso, seria impossível cumprir as obrigações assumidas pelo país”.