Argentina aceita abertura comercial com Mercosul, mas quer proteção

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Wikipédia

A Argentina parece disposta a aceitar os acordos comerciais que vêm sendo costurados pelo Mercosul com outros blocos e países, mas com ressalvas.

Após reunião por videoconferência com representantes de Brasil, Paraguai e Uruguai, o Ministério de Relações Exteriores do país emitiu nota sinalizando suas ressalvas.

“A ideia é que o bloco avance em conjunto nas negociações regionais, tendo em conta a defesa de seu tecido produtivo e o cuidado com o emprego nacional”, diz trecho do comunicado, replicado pela Folha de S.Paulo.

A ideia do governo da Argentina é simplesmente proteger a produção do próprio país em setores sensíveis e evitar uma crise ainda maior após o fim da pandemia de coronavírus.

“O Mercosul deve estar conectado ao mundo, com fluxos de investimento, transferência de tecnologia e mercados globais, mas protegendo seus setores sensíveis, o trabalho e a criação de valor agregado na região”, pontuou o ministério, de acordo com a AFP.

Secretário diz que abertura não será “frívola”

Jorge Neme, secretário da Argentina para o Mercosul, assegurou que as exigências do país não são para que a abertura do mercado se torne frívola, superficial. E repetiu qual a principal preocupação do presidente Alberto Fernández.

“Não se trata de uma abertura frívola que expõe sua estrutura de produção à competição externa. A situação econômica internacional apresenta um panorama de incerteza, com indicadores de queda nas economias desenvolvidas e uma queda acentuada no comércio. Nosso objetivo é proteger os setores vulneráveis de nossa economia”, concluiu.

A próxima reunião dos principais países do Mercosul deve acontecer no dia 12 de maio, novamente por meio de uma videoconferência.

A Argentina, pelo menos até o momento, rejeita uma abertura comercial que afete seus objetivos de “normalizar a enorme dívida externa herdada e os níveis muito críticos de sua atividade econômica”.

As negociações do Mercosul que seguem em andamento e que, por enquanto, não contam com a participação da Argentina são com Coreia do Sul, Canadá, Cingapura e Líbano.

Conheça os benefícios de se ter um assessor de investimentos