Aproveite o isolamento social para fortalecer seu currículo

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Diante do confinamento imposto pela pandemia de coronavírus, muitas pessoas estão ou deveriam estar aproveitando esse tempo para aprofundar seus conhecimentos e melhorar o currículo.

Sem a perda de tempo com deslocamentos diários, pode-se investir em outras atividades antes deixadas de lado.

Buscar novas certificações do mercado financeiro pode ser uma opção para conquistar aquela tão sonhada promoção ou incrementar seu currículo e tentar postos com salários robustos.

Segundo a 12ª edição do Guia Salarial da Robert Half, divulgada em outubro, as projeções salariais para o mercado financeiro incluem desde analista de auditoria e compliance (de R$ 9,9 mil a R$ 17,7 mil) a gerente comercial corporate (R$ 22,2 mil a R$ 39,8 mil).

Passam também por gerente de auditoria e compliance (R$ 18,1 mil a R$ 32,5 mil), gerente comercial private (R$ 16,3 mil a R$ 29,3 mil), gerente de crédito e risco (R$ 20,1 mil a R$ 36,1 mil), analista de crédito e risco (R$ 10,1 mil a R$ 18,1 mil) e analista de investimentos/fusões e aquisições (R$ 10,6 mil a R$ 19 mil).

Certificações

Quanto mais alto o salário, maiores são as exigências para ocupá-lo. O profissional interessado nessas funções precisa de certificações, que atestam sua capacidade para executar determina função.

Autoridades regulatórias e o próprio mercado de trabalho exigem esse “atestado” de conhecimento para atuação no sistema financeiro e de capitais.

Além disso, as certificações servem como filtros no recrutamento. Ou seja, dependendo da vaga quem não tiver determinada certificação está fora.

Confira abaixo as principais certificações para a atuação no mercado financeiro.

CPA-10

A Certificação Profissional ANBIMA (CPA-10) é considerada a porta de entrada para setor bancário, pois tem o objetivo de comprovar o conhecimento do profissional sobre o mercado financeiro de forma mais genérica.

O teste é aplicado pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), que certifica os profissionais para atuar no varejo bancário.

A CPA-10 é obrigatório para trabalhar em instituições financeiras na área de prospecção ou venda de produtos de investimento diretamente para o público, seja na rede física ou em plataformas de atendimento.

CPA-20

A CPA-20 é como subir mais um nível dentro segmento bancário. Isso porque essa certificação exige um nível de conhecimento maior que o CPA-10.

O profissional certificado CPA-20 está apto a lidar com investidores de alta renda, private banking, corporate e investidores institucionais.

O profissional certificado com a CPA-20 também pode exercer a função da CPA-10. Ou seja, o CPA-20 substitui a necessidade de tirar o CPA-10. Por isso, muitos bancários optam por tirar o CPA-20 de uma vez.

CEA

Na Certificação de Especialista em Investimentos ANBIMA (CEA), a régua volta a subir porque essa certificação permite exercer as mesmas funções que a CPA-10 e CPA-20. A CEA é para profissionais que auxiliam gerentes de contas de investidores. O profissional CEA pode indicar produtos financeiros.

CGA

A Certificação de Gestores ANBIMA (CGA) é voltada para gestores de ativos, ou seja, o profissional que realiza a gestão de recursos de terceiros. Essa certificação é obrigatória para profissional que deseja ser gestor de fundos de investimentos.

AAI

A certificação de Agente Autônomo de Investimento (AAI), mais conhecida como assessor de investimentos é emitida pela Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias (Ancord).

O profissional aprovado e credenciado a Ancord pode realizar a distribuição/venda de produtos financeiros aos investidores.

A profissão de assessor de investimentos é uma das que mais crescem no Brasil. Há um déficit grande desses especialistas em comparação com outros países em desenvolvimento.

PQO

O PQO também é emitido pela Ancord. A certificação visa atestar o conhecimento de profissionais que atuam nos mercados administrados pela B3.

Ao realizar a inscrição para teste, o profissional deve escolher o segmento de atuação que varia entre Operações, Compliance, Risco, Comercial, Back Office, Liquidação, Custódia e Cadastro.

CNPI

A Certificação Nacional do Profissional de Investimento (CNPI) é obrigatório para exercer a função de analista de investimentos, profissional que emite análises e recomendações de investimentos.

A prova é realizada pela Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec).

A certificação é dividida em três provas. Uma delas inclui conhecimentos básicos sobre o mercado financeiro e de capitais. Outra trata de abordagem fundamentalista e outra sobre escola técnica.

Assim, o profissional pode escolher entre CNPI para analistas fundamentalistas, CNPI-T para analistas técnicos e CNPI-P (Pleno) que pode exercer ambas atividades.

CFP

A CFP (Certified Financial Planner) é um certificação de padrão de qualidade internacional, voltada para planejadores financeiros.

Os profissionais certificados podem atuar como consultores, avaliando objetivos e riscos de cada cliente para montar uma estratégia de investimento para cada perfil.

Essa certificação não é obrigatória, serve mais como distinção e sinônimo de qualidade.

Susep

A Susep é obrigatória para todos os corretores de seguros. A prova da Superintendência de Seguros Privados (Susep) exige apenas que o profissional tenha o Ensino Médio completo e seja maior de idade.

FBB

A FBB é destinada aos correspondentes bancários e divide-se entre as áreas de Consignado, Crédito Direto ao Consumidor e Financiamento de Veículos. A prova é realizada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

CA-300, CA-400 e CA-600

Essas certificações são voltadas para setor de crédito imobiliário. A CA-300 é  necessária para atuar como correspondente de crédito imobiliário junto às instituições financeiras.

A CA-400 é voltada aos profissionais que trabalham em agências bancárias e plataformas de atendimento de clientes em operações de credito imobiliário.

A CA-600 é pré-requisito para a comercialização de produtos de crédito imobiliário.

As certificações são emitidas pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).

Aneps

A Associação Nacional das Empresas Prestadoras de Serviço ao Consumidor (Aneps) é obrigatória para profissionais de financeiras e distribuidoras de crédito.

Uma das principais certificações do mercado financeiro, reconhece os profissionais em vários segmentos, como consignado, imobiliário, agrícola, microcrédito, veículo e crédito direto ao consumidor (CDC).

CFA

A CFA (Chartered Financial Analyst) é uma das principais certificações financeiras do mundo. A CFA não obrigatória para nenhuma profissão. Só que é a mais prestigiada certificação do mercado financeiro e também a mais difícil de ser obtida.

Além de passar na prova, o interessado precisa comprovar experiência direta no processo de tomada de decisão de investimento ou na produção de um produto de trabalho que informe ou agregue valor a esse processo.

LEIA MAIS

Influencers de finanças aumentam popularidade com crise do coronavírus

Fundos Imobiliários: Veja como você pode lucrar com esse investimento