Após ser comprado por Carrefour (CRFFB3), Grupo Big volta a vender online

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação

Comprado pelo Carrefour (CRFFB3) em março, o Grupo Big anunciou nesta quinta-feira (15) que voltou a fazer vendas por plataformas online.

A empresa estava operando somente por meio de algumas plataformas de aplicativos, que recebiam os pedidos e faziam a entrega de mercadorias a partir das lojas.

Acesse esse material especial para avaliar resultados, performance e dividendos dos melhores FIIs no mercado.

Hoje, segundo o Valor Econômico, o Grupo Big informou o lançamento dos sites da empresa para a venda direta, por meio do www.big.com.br, www.bompreco.com.br ou www.samsclub.com.br.

No ano de 2019, o Big deixou de vender pelo seu marketplace (shopping virtual), que atua hospedando terceiros na plataforma.

Você sabia que algumas das maiores oportunidades de ganhos da bolsa estão nas Small Caps? Quer saber mais sobre essas ações e como investir? 

Em 2017, ainda com a Walmart como controladora, a rede já havia interrompido a comercialização pela venda direta.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

Em comunicado nesta quinta, o Grupo Big afirmou que lança a sua própria plataforma de vendas on-line, com controle da operação logística e de distribuição, o que antes não ocorria por conta da parceria com os “apps”.

A empresa vai manter a parceria com os aplicativos informada no ano passado. Após início da pandemia, a empresa anunciou acordo com serviço de delivery das plataformas iFood, Rappi, Cornershop, Uber, Uber Eats, Supermercado Now e Americanas Mercado.

O Grupo Big foi comprado em março pelo Carrefour por R$ 7,5 bilhões. A operação está sob análise do Cade.

Mater Dei (MATD3) movimenta R$ 1,4 bilhão

A Mater Dei (MATD3) precificou suas ações em R$ 17,44, com movimentação de R$ 1,407 bilhão no IPO (Oferta Pública Inicial). O valor por ação ficou 20% abaixo da faixa de piso indicativa que ia de R$ 21,80 a R$ 26,20.

A distribuição primária compreende 68.171.121 ações, enquanto a oferta secundária compreende 12.522.935 ações.

O início das negociações das ações na B3 está prevista para sexta-feira (16).

A Mater Dei foi fundada em 1980. Tem sede em Belo Horizonte,  e 1.081 leitos hospitalares distribuídos em três unidades, localizadas na região metropolitana da capital mineira.

Bradesco (BBDC4) aprova eleição de diretor

O Banco Bradesco (BBDC4) comunicou ao Banco Central do Brasil que aprovou a eleição de membros para a diretoria, cujo mandato se estenderá até a posse dos que forem eleitos na primeira Reunião do Conselho de Administração que suceder à Assembleia Geral Ordinária de 2022.

Assim, Jeferson Ricardo Garcia Honorato foi eleito diretor da empresa.

Amaro Luiz de Oliveira Gomes foi indicado como membro qualificado do comitê de auditoria.

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.