ANP avalia autorizar serviço de entrega de gasolina, diz jornal

Jéssica De Paula Alves
Jornalista e produtora de conteúdo
1

Crédito: Reprodução/Agência Brasil

A Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) avalia autorizar o serviço de delivery de gasolina. Todavia, esta atividade está gerando polêmica no mercado brasileiro de combustíveis, informou o jornal Folha de São Paulo.

Mas esta operação podem trazer risco ao abastecimento, se não respeitarem as regras de segurança, segundo distribuidoras e postos. Assim, os defensores alegam que o serviço já é prestado em outros países e que a competição é boa para o consumidor.

Segundo a Folha, a GOfit funciona via aplicativo para celulares, seguindo o exemplo de serviços de entrega de comida, como Rappi e Uber Eats: após se cadastrar, um veículo adaptado leva o combustível do posto Vânia ao endereço solicitado. Por enquanto, a companhia só prevê operações em alguns bairros da zona oeste do Rio.

BDRs. Alternativas para investir no exterior diretamente da bolsa brasileira

A entrega é feita por camionetes com dois tanques, um para gasolina e outro para etanol, com capacidade para transportar até mil litros de combustível.

Fontes do setor dizem que outras empresas estão de olho no mercado. Embora a iniciativa seja vista com bons olhos, a ANP ainda não emitiu autorização, alegando que é preciso estabelecer regras para a prestação do serviço sem riscos.

Distribuidores e revendedores citam entre os riscos a possibilidade de abastecimento em ambientes fechados ou em cima de bueiros. Pois atividade emite gases e está sujeita a vazamentos nos postos.

Reunião

O órgão regulador do setor de petróleo já discutiu o tema em reunião com o Inea (Instituto Estadual do Meio Ambiente), a Secretaria Municipal de Meio Ambiente do Rio, a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) e o Ipem (Instituto de Pesos e Medidas).

Na reunião, o representante da GOfit defendeu que o modelo traz como benefícios maior comodidade, facilidade de comparar preços e segurança no abastecimento. Para o revendedor, afirmou, a principal vantagem seria a abertura de um novo canal de vendas.

Segundo a empresa, os motoristas são treinados para prestar o serviço e as camionetes são equipadas com equipamentos de segurança, como cones, cabos de aterramento e medidores da presença de gás, além de câmeras. A localização dos veículos é monitorada em tempo real.