ANP adia reinício do Levantamento de Preços de Combustíveis (LPC)

Marcello Sigwalt
null

Crédito: Site Sindicombustíveis

A necessidade de ajustes no processo de implantação do novo formato da pesquisa, de maneira a garantir total confiabilidade aos dados, em linha com o Termo de Referência de contratação da empresa prestadora do serviço.

Essa foi a justificativa apresentada pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) para a prorrogação do reinício do Levantamento de Preços dos Combustíveis (LPC) – a princípio previsto para a próxima segunda-feira (14) –  que inclui todos os combustíveis automotivos e o GLP (gás de cozinha).

Não foi marcada outra data pela autarquia, até o momento.

Monitore completamente sua Carteira

Captura da geolocalização

O novo LPC contará com um formulário eletrônico, pelo qual é possível capturar a geolocalização do pesquisador, com data e hora, o que inclui fotos do posto e do painel de preços.

No entendimento da ANP, tais funcionalidades, além de assegurar a confiabilidade e credibilidade dos dados, além de dispor, em tempo real, dos preços da gasolina C aditivada.

Com a vigência das resoluções ANP nº 729/2018 e nº 795/2019 – que obrigam distribuidores a fornecerem dados, por meio do Sistema de Informações de Movimentação de Produtos (SIMP) – o LPC deixou de captar os preços pagos pelos postos às distribuidoras.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

Esses dados passarão a ser disponibilizados pelo portal da ANP.

Aumento gradual

Na nova versão do levantamento, foram mantidas, tanto sua abrangência geográfica, quanto periodicidade. A única alteração significativa, nos critérios de licitação, é a que prevê o aumento gradual das amostras, assim como do número de municípios integrantes.

Neste caso, a intenção é atingir semanalmente – nas etapas posteriores do LPC – com o serviço, 6 mil postos e 4.400 revendas de GLP, em 459 cidades.

Inicialmente, o serviço abrangerá somente as 26 capitais e o Distrito Federal.