Anima (ANIM3), Cruzeiro do Sul (CSED3) e Vitru: as preferidas do BTG (BPAC11) na educação

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Reprodução

Em análise sobre o setor de educação o BTG Pactual (BPAC11) elegeu suas preferidas: Anima (ANIM3), Cruzeiro do Sul (CSED3) e Vitru (VTRU).

Em resposta a um pedido de vários investidores, o BTG fez um relatório sobre a dinâmica operacional dos players de educação.

Acesse esse material especial para avaliar resultados, performance e dividendos dos melhores FIIs no mercado.

A ideia é atualizar os números ganhos por cada empresa, compilando e analisando os principais números operacionais.

O BTG ressalta que o início de 2021 ainda reflete “uma dinâmica altamente atípica”. “O momento ainda é duro para o segmento presencial, prejudicado pela pandemia e pelo atraso do Enem. A base de alunos de ensino à distância (EAD) continua crescendo, apesar de ainda ter altas taxas de evasão”, afirma o relatório do banco.

Você sabia que algumas das maiores oportunidades de ganhos da bolsa estão nas Small Caps? Quer saber mais sobre essas ações e como investir? 

Apesar dos resultados ainda pressionados no primeiro trimestre, as empresas de educação sinalizam alguns primeiros sinais de recuperação de ganhos.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

As ações subiram no mês passado (SEER + 26%; COGN + 18%; CSED + 14%; YDUQ + 10%; VTRU + 9%; ANIM + 6%).

Confira abaixo os principais destaques sobre cada empresa.

Cogna: dinâmica difícil para o segmento local

A Cogna teve um desempenho inferior nas entradas locais (-42% a/a para 51 mil alunos). Mas o ensino a distância continua a se expandir, crescendo 20% a/a para 304 mil alunos.

A taxa de abandono local aumentou para 14% no primeiro trimestre (contra 13% no ano passado), enquanto a evasão no EAD disparou para 16% (contra 10,5% no 1T20).

O tíquete médio local aumentou 11% a/a, impulsionado por melhores tíquetes FIES e PEP, enquanto no EaD o ticket caiu 13,5% a/a. Ex-FIES e PEP, o tíquete médio onsite caiu 0,6% a/a.

YDUQS: entradas de EaD e ticket médio foram surpresas positivas

A YDUQS também teve uma das entradas mais fracas no segmento local, caindo 28% a/a no local para 74 mil alunos (ou 38% organicamente para 62 mil alunos).

Mas superou o EAD, crescendo 31% para 191 mil alunos (ou 27% organicamente para 186 mil alunos).

Nos cálculos do BTG, a taxa de abandono no local do primeiro trimestre caiu para 15% (vs. 18% no ano passado), enquanto a evasão EaD caiu para 21% (vs. 28% no 1T20).

No primeiro trimestre o ticket médio local subiu 14% a/a e o ticket EaD caiu 2,8% a/a.

Cruzeiro do Sul: ciclo de ingestão resiliente

O Cruzeiro do Sul teve os processos de entrada local mais resilientes, crescendo 0,5% a/a para 49mil alunos, comprovando a resiliência de sua operação no local de alta qualidade.

A entrada no EaD aumentou 20% a/a para 101 mil alunos. No primeiro trimestre, a taxa de abandono no local aumentou para 19% (vs. 17% ano passado), enquanto a evasão de EaD quase não mudou os 25%.

O ritmo de crescimento do tíquete médio no local desacelerou para + 2,5% a/a no primeiro trimestre, e o tíquete EaD caiu 6,6% a/a.

Anima: superação em consumo e tíquete médio

A Anima novamente superou o desempenho local, que caiu apenas 1,3% para 32 mil alunos (ou -16,5% a/a para 27,3 mil alunos, excluindo as aquisições).

Enquanto isso, a taxa de evasão caiu para 7% (vs. 7,5% no ano passado) no primeiro trimestre e o tíquete médio aumentou 12% a/a (+ 2,3% organicamente), também superando seus pares.

SER Educacional: EaD disparou 210% a/a

Apesar do momento difícil para o segmento no local (as entradas caíram 12% a/a para 39 mil alunos), o EaD disparou 210% a/a para 56 mil alunos (um recorde para o SER).

No segmento local a taxa de evasão no primeiro trimestre caiu para 20% (vs. 22% no ano passado) e a evasão na EaD caiu para 38% (vs. 47,5% no 1T20). O tíquete médio local do 1T21 da SER aumentou 2% a/a, enquanto o tíquete EaD caiu 25% a/a, que a SER disse que reflete principalmente a mudança no mix de cursos.

Vitru: taxa de evasão subiu para 37,5% no primeiro trimestre

O EaD da Vitru aumentou 18% a/a para 125 mil alunos. As taxas de desistência (desistências + não renovação) subiram para 37,5% (de 29% no ano passado), e o tíquete médio do EaD caiu 4% a/a.

Recomendações do BTG

O BTG continua comprador de Cruzeiro do Sul, Anima e Vitru, que são os nomes preferidos dos analistas.

A recuperação das margens de Anima é menos impactada pelo cenário macro adverso (por exemplo, foco em nicho de alta qualidade comprovada e sinergias de aquisições recentes).

A Vitru não poderia estar melhor posicionada para jogar a mudança contínua de cursos de graduação local (principalmente em nicho de baixa qualidade) para o mercado de EaD.

A Cruzeiro do Sul é a Top Pick do BTG, por estar bem posicionada para surfar nas duas tendências mais promissoras e resilientes da indústria: alta qualidade do segmento no local + EaD de crescimento rápido.

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.