Ânima (ANIM3) se destaca entre as grandes do setor educacional

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Divulgação Ânima

A Yduqs (YDUQ3) fechou ontem (26) a lista das grandes empresas do setor educacional que faltavam apresentar os resultados do segundo trimestre de 2020. Mas o destaque da educação foi mesmo a Ânima (ANIM3).

Isso porque a companhia conseguiu reverter o prejuízo do segundo trimestre de 2019 em lucro no mesmo período deste ano.

O Ebtida e a receita líquida da Ânima cresceram mais do que a dos seus pares Ser Educacional (SEER3), Yduqs e Cogna (COGN3).

Monitore completamente sua Carteira

A Ânima também viu sua taxa de evasão cair no segundo trimestre de 2020.

Cabe frisar que mesmo diante da pandemia do novo coronavírus, a companhia conseguiu apresentar resultados sólidos.

Operações

Em relação ao lucro, apenas a metade das gigantes do setor da educação registraram lucro no segundo trimestre deste ano.

Confira principais Ações para investir em Outubro

O resultado mais expressivo foi o da Ser Educacional, atingindo R$ 54,7 milhões no trimestre. Enquanto, a Ânima reverteu prejuízo em lucro de R$ 8,9 milhões.

Cogna e Yduqs reverteram lucro em prejuízo no segundo trimestre, R$ 457 milhões e R$ 79,5 milhões, respectivamente.

Mas, ao olharmos o lucratividade operacional, medida pelo Ebtida ajustado (lucro antes de juro, impostos, depreciação e amortização) a Ânima sai na frente.

O Ebtida da Ânima subiu 61,5% no segundo trimestre, totalizando R$ 91,7 milhões.

Já a Ser Educacional registrou um Ebtida ajustado de R$ 88,4 milhões, uma elevação de 22,9%.

No campo receita líquida, apenas a Cogna apresentou retração no trimestre. E, mais uma vez, a Ânima foi destaque, com crescimento de 24,7% da receita líquida.

Ser Educacional e Yduqs viram a receita líquida subir pouco mais do que 3%.

Evasão e inadimplência

A Ânima surpreendeu positivamente com queda na taxa de evasão de 6,7% para 6,5%.

De acordo com a empresa, a manutenção dos alunos não foi motivada por uma política de concessão de descontos. O grupo estudantil aumentou a oferta de serviços como financiamento estudantil e seguro desemprego que ajudou a segurar os estudantes.

A Cogna registrou alta de 0,3 pontos percentuais na taxa de evasão, atingindo 8,5%.

Em virtude das incertezas provocadas pelo impacto da pandemia da Covid-19, a Ser viu a taxa de evasão da graduação presencial aumentar de 5,0 p.p., ficando em 20,7%, no primeiro semestre de 2020.

A Yduqs também registrou aumento na taxa de evasão (+1 p.p.), atingindo 15%.

EAD acelera

A preferência pelo EAD no primeiro semestre deste ano ficou clara, com o crescimento expressivos das grandes do setor da educação.

A base de alunos EAD da Yduqs saltou mais de 60%, somando 339,2 mil. Já a base de alunos EAD (que representa a soma da base de alunos de graduação e pós-graduação EAD) da Ser apresentou um crescimento de 44,0%.

Enquanto isso, a base de alunos presencial que mais cresceu foi a da Yduqs (+14,3%), atingindo 355,6 mil.

Seguida de Ânima, que observou crescimento de 13,4% na sua base de alunos presencial.

Já base de alunos de graduação presencial da Ser totalizou 138,7 mil alunos, um aumento de 4,7%.