Ânima (ANIM3) propõe aumento de capital, após negócio com Laureate

Redação EuQueroInvestir
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Divulgação Ânima

A Ânima (ANIM3) convocou Assembleia Geral Extraordinária (AGE) para analisar a proposta de aumento de capital social de R$1,651 bilhão para até R$ 4 bilhões. De acordo com comunicado, o conselho de administração irá definir as condições da subscrição, como prazo e preço.

A divulgação ocorre no dia seguinte ao anúncio de que a companhia ganhou a disputa pelas operações da Laureate no Brasil, por R$ 4,4 bilhões. O negócio também interessava à concorrente Ser Educacional (SEER3), que tinha dado o lance inicial e entrou na justiça contra o rompimento do contrato, além da Yduqs (YDUQ3).

Para saber mais: Ânima (ANIM3) vence SER (SEER3) em disputa por Laureate

Perdeu a Money Week?
Todos os painéis estão disponíveis gratuitamente!

A assembleia também irá decidir sobre o cancelamento de 3,5 milhões de ações que estão em tesouraria.

Qualicorp (QUAL3) diz que irá apurar fatos de operação da PF

A Qualicorp (QUAL3) informou que colaborará com as autoridades públicas e adotará “medidas necessárias para apuração completa dos fatos” referentes à operação da Polícia Federal, realizada nessa quinta-feira (22), na sede da companhia.

A ação de busca e apreensão de documentos foi determinada pela 2ª Vara Federal Criminal da Subseção Judiciária de São Paulo. E é parte da Operação Triuno, que investiga crimes contra o sistema financeiro nacional e de lavagem e ocultação de bens, direitos e valores.

As suspeitas são de que grupos criminosos lucravam ilegalmente com simulação de prestações de serviços e fornecimento de produtos. Os mandados estão sendo cumpridos em São Paulo, Barueri, Santo André e cidades do Rio de Janeiro.

Petrobras (PETR4) conclui oferta de notes

A Petrobras (PETR3) informa que concluiu ontem, por meio da sua subsidiária Petrobras Global Finance (PGF), a oferta de global notes no mercado internacional, no valor de US$ 1,0 bilhão, através da reabertura dos títulos PGF 5,60% Global Notes, com vencimento em janeiro de 2031.

A operação, precificada em 13 de outubro, representou, segundo a estatal, a menor taxa de retorno (yield) de uma emissão na história da Petrobras para um título de 10 anos. O rendimento ao investidor previsto será de 4,40% a.a.

Os recursos captados, de acordo com a Petrobras, serão consolidados com o US$ 1,5 bilhão emitido em 3 de junho de 2020, formando uma série única de US$ 2,5 bilhões.

Os recursos líquidos serão utilizados para o pagamento dos títulos entregues e aceitos na oferta de recompra anunciada em 13/10/2020 e, em caso de excesso, irão para propósitos corporativos em geral.