Anfavea: indústria de veículos cresce 23,6% em agosto ante julho

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Divulgação

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) divulgou nesta sexta-feira os números do setor em agosto.

Dúvidas sobre como investir? Consulte nosso Simulador de Investimentos

De acordo com o órgão, os números sacramentaram a evolução do setor desde que a pandemia de coronavírus começou a afetar a economia mundial.

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

Na comparação com julho de 2020, a indústria de veículos apresentou crescimento de 23,6%, com a produção de 210.860 automóveis, comerciais leves, ônibus e caminhões contra 170.651 do mês anterior.

“Esse crescimento era esperado, estamos aos poucos aumentando a produção. Quando olha em relação ao ano passado, ainda é muito baixo. Estamos com 60 mil unidades a menos que agosto do ano passado”, afirmou Luiz Carlos Moraes, presidente da Anfavea.

Licenciamentos de veículos também avançam em agosto

Em relação aos licenciamentos, o mês de agosto fechou com alta de 5,1% em relação ao de julho (183,4 mil).

As exportações, por sua vez, tiveram queda de 3,4% no período, fechando os 31 dias de agosto com 28,1 mil veículos embarcados para fora do País.

Aumente seus ganhos. Consulte nossa Planilha de Monitoramento de Carteira

Setor ainda “corre atrás” de 2019, segundo Anfavea

Anfavea

As declarações de Luiz Carlos Moraes, presidente da Anfavea, são comprovadas pelos números divulgados pelo órgão nesta sexta-feira.

Segundo a associação, em agosto de 2019 foram produzidos 269.758 veículos, número 21,8% superior ao montante total do mesmo mês em 2020.

Em relação aos licenciamentos, o cenário é o mesmo. Até o fim de agosto, foram 1.166,7 mil, número 35% menor do que o período similar de 2019.

As exportações somaram 176,7 mil nos oito primeiros meses do ano, encolhendo 41,3%, e a produção chegou a 1.110,8 mil, caindo 44,8%.

“É como se perdêssemos 3 meses de vendas internas e quase 4 meses de produção”, sintetizou Luiz Carlos Moraes, presidente da Anfavea.

Caminhões e máquinas agrícolas

O relatório da Anfavea mostrou que o setor de caminhões, mesmo com a queda de 15,3% nos emplacamentos do mês de agosto (8,1 mil unidades), tem baixas menos dramáticas nos oito primeiros meses do ano.

Até agora, o recuo do setor é de 14,9% nas vendas e de 17,9% nas exportações, além de 36,6% na produção.

Em relação às máquinas agrícolas e rodoviárias, a situação é menos alarmante, mesmo em meio à pandemia.

A Anfavea divulgou que as vendas internas apresentaram recuo de 2,7% em agosto, mas subiram 1,8% no acumulado do ano, somando 28,5 mil unidades.

A queda acumulada de 33,9% nas exportações, no entanto, prejudicaram a produção do setor, que encolheu 21,5% entre janeiro e agosto de 2020.

“Se antes da pandemia nós já alertávamos para a falta de competitividade do nosso país, agora a situação é ainda mais urgente”, comentou o presidente.

“O mercado global de veículos deve encolher de 91 milhões de unidades em 2019 para menos de 75 milhões em 2020,
gerando uma ociosidade inédita na indústria global. Só atacando as causas do Custo Brasil é que teremos condições de evitar um encolhimento do setor automotivo brasileiro”, concluiu.

Planilha de Açõesbaixe e faça sua análise para investir