Ampliação de crédito pretende destravar R$ 100 bilhões para empresas

Jéssica De Paula Alves
Jornalista e produtora de conteúdo
1

Crédito: (Brasília-DF, 06/05/2019) Ministro da Economia, Paulo Guedes..Foto: Isac Nóbrega/PR

O governo federal pretende destravar R$ 100 bilhões em crédito para empresas com o plano de retomada na economia. Devido à pandemia de coronavírus no Brasil, o ministro Paulo Guedes (Economia) colocou sua equipe para estudar medidas que possam impedir o país de entrar em recessão, informou a Folha de São Paulo.

Para a ala militar do governo, a retomada depende de investimento público. Assim, uma das saídas para evitar esse caminho é aumentar o crédito para micro, pequenas e médias empresas.

Outra medida avaliada pelo governo é a redução de custos de recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Ele seria para lastrear financiamentos imobiliários em corte de, no mínimo, de um ponto percentual nos juros de contratos pela compra da casa própria.

Segundo a Folha, esta seria uma forma de tentar restabelecer a confiança do consumidor e assim, fazer o motor da economia voltar a girar pós os meses de isolamento.

Para pequenas e médias empresas, a ideia é que o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) receba recursos do Sistema S, cujas contribuições acabaram de sofrer um corte de 50% via medida provisória.

Apenas o Sebrae não foi incluso, pois, teve recursos destinados ao Fampe (Fundo de Aval para Micros e Pequenas Empresas) para que sejam dadas garantias em empréstimos. O crédito será direcionado a pequenos negócios, como bares, restaurantes, salões de beleza, academias, etc.