Amazon pede bloqueio de contrato entre Microsoft e Pentágono

Weslley Almerindo
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução/Christian Wiediger/Unsplash

A Amazon irá pedir ao tribunal federal norte-americano o bloqueio temporário da atuação da Microsoft em um contrato de computação em nuvem de US$ 10 bilhões com a Pentágono.

O contrato chamado de “Projeto Conjunto de Defesa em Infraestrutura de Nuvem” ou JEDI, na sua sigla em inglês, está relacionado ao fornecimento de armazenamento em nuvem para dados e tecnologias militares delicadas.

Contextualização

Em 25 de outubro de 2019, o contrato foi concedido a Microsoft, mas, contraditoriamente, ele era visto, por diversos especialistas, como uma oportunidade incrível e favorável para a Amazon. Esse contrato estava em negociação desde março de 2018, quando ele foi colocado na mesa pelo Pentágono.

As polêmicas se iniciam quando Jeff Bezos, presidente da companhia e dono do jornal Washington Post, é declarado abertamente por Trump como um “inimigo” do governo.

Consequentemente, Bezos começa a ser alvo de diversas falas negativas durante o processo de decisão do contrato, que podem ter desfavorecido a empresa, segundo a CNN.

Antes de ser eleito, Donald Trump fez declarações polêmicas contra a Amazon diante de seus apoiadores, como por exemplo, ao afirmar que criaria “problemas” para a empresa.

Mais recentemente, Trump chegou a prometer publicamente que daria uma “forte olhada” no acordo.

Devido a essas e diversas outras falas, Bezos declara que é impossível que exista imparcialidade na escolha do contrato, o que levou a empresa a solicitar o bloqueio.

O bloqueio do contrato da Microsoft com Pentágono

Sentindo-se injustiçado, o presidente da Amazon deseja que o tribunal bloqueie temporariamente a Microsoft de trabalhar no JEDI.

Segundo ele, as declarações de Donald Trump, tanto nos bastidores quanto fora deles, impossibilitaram a imparcialidade na avaliação do contrato pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos.

Assim, a Amazon Web Services, maior segmento de computação em nuvem do mundo, era líder nas conquistas dos negócios com o Pentágono antes das declarações de Trump, consoante a CNN.

Sobre a decisão, o Pentágono disse a CNN que escolheu a Microsoft porque ela ajudaria a melhorar “a velocidade e eficácia com que eles desenvolvem e implantam recursos técnicos e modernizados para seus homens e mulheres”.

Por fim, a solicitação de bloqueio temporário será enviada no dia 24 de janeiro e a Microsoft está programada para iniciar seu trabalho no JEDI em 11 de fevereiro.


Aproveite as oportunidades e aumente a rentabilidade dos seus investimentos.

Preencha seus dados abaixo e conte com especialistas para ajudar.

Se preferir, ligue direto para 4007-2374