Como funciona o aluguel de ações

André Arantes
null
1

Foto: img-capa-mercado-de-acoes

Há inúmeras vantagens quando falamos em operar no mercado de ações. Seja para empresas ou investidores, podemos explorar infinitas possibilidades. Entre elas, o aluguel. Mas afinal, como funciona este aluguel de ações?

[box type=”info” align=”” class=”” width=””] O aluguel de ações é ideal para traders mais experientes que visualizando uma realização da bolsa apostam na baixa e lucram com isso, mas também para você que está com uma posição de ações e quer rentabilizá-la.[/box]

Algo que é de pensamento popular entre quem não tem muita familiaridade com o mercado, é que só é possível obter ganhos significativos na época onde as ações estão com seu preço em alta.

O que pode ser considerado verdade em alguns pontos, mas o aluguel de ações possibilita lucrar mesmo em tempos de baixa.

[banner id=”teste-perfil”]

Sendo assim, uma ferramenta como o aluguel de ações permite tanto ao “doador” quanto para o “tomador” lucros na baixa do mercado. O funcionamento harmônico do mesmo depende de regras simples e de fácil aplicação. A seguir, um esclarecimento de cada parte desse método de investimento.

As peças: O que seria o doador?

O doador é sempre quem possui as ações e deseja alugá-las por um determinado tempo a algum trade/investidor. E o tomador, por sequência da lógica, seria o locatário da ação.

[banner nome=”facebook”]

O aluguel de ações

[box type=”note” align=”” class=”” width=””]O recurso é muito usado por investidores que operam vendido, ou seja, que apostam na queda do papel.[/box]

Eles (os tomadores) alugam ações e vendê-las. Depois que o preço recua, recompram a mesma quantidade de papéis por um preço mais em conta para devolver, ganhando com a diferença entre o valor de venda e de compra.

Nesse tipo de operação doador possibilita a transferência de sua ação ao tomador em troca de uma taxa referente ao período de locação. O tomador paga essa taxa diretamente ao doador.

A ideia é esperar a baixa, para poder comprar os papéis mais baratos com lucro, como nem tudo são flores o tomador pode ter que encerrar sua posição com prejuízo no caso de a ação subir.

[box type=”warning” align=”” class=”” width=””]Vale ressaltar que o doador, mesmo alugando as ações, não deixa de pertencer a si seus dividendos, bonificações, juros sobre capital. Além disso, ainda recebe o aluguel das ações e taxas sem precisar se desfazer delas. Para o tomador, a vantagem é poder especular no mercado.[/box]

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

As taxas de aluguel para cada tipo de ação variam muito de acordo com a oferta e demanda, mas ficam em torno de 1% ao ano do valor do aluguel para nomes mais óbvios como Petrobrás e Vale, pois como possuem muitas ações em circulação, a disponibilidade é alta. Mas se você tem alguma small cap na carteira, essas taxas podem chegar até 20% ao ano!

O conselho que fica para quem está especulando na baixa é que o mínimo de uma ação é R$ 0,00 enquanto que para cima não existe teto. E se você tem custódia de ações e ainda não está remunerando através de aluguel, entre em contato!

Se considera um investidor conservador? Então você está em risco de extinção!

O cenário econômico virou do avesso e o país já não é mais o mesmo.

As taxas de juros caíram à níveis jamais vistos no Brasil desde o final do governo Militar (imagem abaixo) e levaram os rendimentos de Renda Fixa para próximo de Zero (ou negativos no caso da poupança).

Italian Trulli

A nova equipe econômica está incentivando novos investimentos no país, e com isso já não é mais possível ganhar dinheiro confortavelmente na poupança e em CDBs comuns. Por isso, estamos declarando a Extinção do Investidor Conservador.

Se você faz parte dessa espécie de investidor que está em risco de extinção, confirme seus dados no formulário abaixo e fale com nossa equipe. Vamos te ajudar, sem dor e sem custo.