Alô Câmbio: inflação “menos temporária” que o esperado. Jura???

Alexandre Viotto
Formado em Comunicação pela UEL, MBA em Gestão Empresarial e Banking pela FGV. Com passagem por Banco do Brasil, Itaú Unibanco e Citibank, onde atuou na Mesa de Tesouraria por 10 anos. Atualmente é Head de Câmbio e Comex na EQI.
1

Na terça-feira passada, em uma audiência realizada no Senado, Powell disse o que você provavelmente já sabia. O recém confirmado para mais um mandato de chairman do FED comentou a respeito da persistência da inflação. E que o Tapering deve ser acelerado nos próximas meses…

Injeção de liquidez

Dados dão conta de que 25% de todo o dólar disponível está no sistema a aproximadamente 15 meses. Em outras palavras, de todo o dinheiro colocado na Economia em sua história, um quarto tem menos de 2 anos de vida. O Quantitative Easing tem sido muito intenso, atuando em níveis dificilmente imaginados a bem pouco tempo atrás.

Leis da Física

Tão importante quanto as leis de Newton são as leis da economia. Uma delas dá conta de que impressão de dinheiro gera inflação. Quem tem mais de 35 anos lembra muito bem do que acontecia aqui no Brasil antes do Plano Real. E não poderia ser diferente agora, mesmo se tratando da moeda mais importante do planeta.

Próximos passos

O Programa de Compra de Títulos (QE) deve ser suspenso em um tempo menor que o previsto. Se o Tapering tinha planos de acontecer de forma mais amena, parece que o Banco Central Americano vai mesmo acelerar o processo. E os efeitos desta medida tendem a piorar as coisas para as moedas emergentes.

Com o Real incluso, claro…

Se antes tínhamos Fiscal e Eleições como forças atuando na desvalorização do BRL, agora temos mais um item na pauta. A desalavancagem prevista pelo FED pode sim trazer parte dos Investidores  “programada” para ocorrer não antes que julho do ano que vem? O FED vai reduzir o seu Balanço? Nada fácil de prever como podemos observar…

Vindo mais um pouco para o sul do equador…

A PEC dos Precatórios está muito bem encaminhada. E os programas sociais do Planalto devem seguir sem maiores obstáculos. A Eleição, já começou e as chapas seguem em formação. Lula conversando com Alckmin; Moro com Dória etc. Muita coisa para acontecer até a definição da cédula no ano que vem.

Sendo assim…

A moeda brasileira deve seguir pressionada por conta dos problemas de sempre. Inflação, riscos no Fiscal, PEC do Precatórios e eleição do ano que vem. Sigo moderadamente pessimista com o Real, até segunda ordem.