Money Week: Alice Porto fala sobre canal Contadora na Bolsa e declaração de IR de renda variável

Redação EuQueroInvestir
Colaborador do Torcedores

Crédito: Divulgação

O terceiro dia da Money Week, maior conferência online de investimento do país, recebeu Alice Porto, especialista em contabilidade para investidores e criadora do site, canal do youtube e perfil no Instagram Contadora da Bolsa, todos populares com milhares de acessos.

Em entrevista à Fabiana Panachão, nesta quarta-feira (27), Alice falou sobre como declarar o imposto de renda variável e deu dicas de pontos que merecem atenção no momento da declaração desse tipo de IR.

Antes, porém, a especialista relatou os motivos que a levaram a seguir essa área e como surgiu a ideia de criar o seu canal. Segundo ela, entrou nesse ramo porque não encontrou ninguém no mercado que fizesse a declaração de renda variável. Isso a estimulou a conhecer melhor a área e se aprofundar no assunto.

BDRs, Day Trade, Unicórnios e novos IPOs.

Hoje é dia de insights para investir em 2021.

Sobre o canal, a iniciativa surgiu por causa de seu perfil comunicativo. Alice conta que assumiu um papel mais sério em seus primeiros vídeos. Observando que a personagem daqueles vídeos não representava, de fato, quem ela era, resolveu criar um perfil mais espontâneo.

Alice Porto criou dois perfis no Instagram. Ela conta que o “mais sério” teve um total de 300 seguidores, enquanto o outro, com estilo mais espontâneo, ultrapassou os 10 mil em pouco tempo.

Dicas para quem tem que declarar IR na renda variável

Alice deu dicas para pessoas que precisam declarar o IR na renda variável. Segundo ela, o investidor precisa ter em mente que, a partir do momento em que  entrar na Bolsa, necessitará fazer a declaração. “Um real na Bolsa já precisa fazer a declaração”, explica.

Outro fator importante, de acordo com a especialista, é que em todos os meses o investidor precisa fazer o recolhimento. A rotina, porém, é leve. Segundo Alice, assim que encerrar o mês, é necessário fazer os cálculos para ver se houve prejuízos ou lucro isento.

Com o lucro isento, elucida, não é preciso pagar o imposto de renda. No entanto, ressalta que no caso do lucro tributário é preciso fazer o recolhimento via DARF (Documento de Arrecadação de Receitas Federais), que vence no último dia útil do mês seguinte à operação.

Organização

Alice reforçou a importância da organização para não se prejudicar com o IR de renda variável. Ela salientou que é possível se organizar registrando os extratos em uma planilha própria. Além disso, aconselhou a ter toda a documentação arquivada para casos de fiscalização da Receita Federal.

Segundo a especialista, raramente a Receita chama o investidor para cruzar dados quando todos os arquivos da Bolsa estão registrados na declaração do IR.

Ela disse que é sempre importante juntar os extratos e focar nos dados da nota de corretagem (um modelo similar ao de uma nota fiscal, mas da Bolsa de Valores) e nos informes de rendimento.

Fundos Imobiliários e investimento no exterior

Alice também falou sobre as declarações de IR em fundos de investimentos imobiliários e investimentos no exterior. De acordo com a especialista, os Fundos Imobiliários seguem as mesmas regras do IR de renda variável. A única diferença é que os prejuízos do fundo imobiliário são compensados apenas com lucros dessa mesma categoria. Além disso, o fundo de investimento imobiliário tem uma alíquota única de 20%.

Em relação aos investimentos no exterior, conforme explica, a tributação é completamente diferente. Segundo ela, não tem compensação de prejuízo, os dividendos são tributados e a isenção é US$ 35 mil.

Alice também relata que pretende começar a produzir conteúdos para declaração no exterior muito em breve na sua página do Instagram.

LEIA MAIS:

Money Week: gestor Henrique Bredda vê cenário econômico positivo no Brasil

Money Week: trader Moises Beida fala sobre análise técnica e a tentativa de “projetar o futuro”