Agronegócio: setor responde por 1/4 da economia; saiba como investir

Ronaldo Araújo
Engenheiro e Agente Autônomo de Investimentos, hoje me dedico a divulgar ensinamentos sobre como funciona a Previdência Privada. Acredito que com mais conhecimento é possível fazer melhores escolhas para a formação do patrimônio de longo prazo. Para saber mais acesse www.ronaldoaraujo.com.br
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O agronegócio brasileiro passou por uma grande revolução que iniciou na década de 1970. O governo da época decidiu desenvolver a atividade e enviou técnicos para o exterior para aprender as tecnologias da época.

Deu certo: sozinho, o agro hoje representa mais de 25% da riqueza produzida no país, alimentando mais de 1 bilhão de pessoas ao redor do planeta.

Saiba mais sobre esse exemplo de prosperidade e conheça as opções de investimento disponíveis. Prossiga!

Qual é a representatividade do setor para a economia do país?

Indiscutivelmente, o setor do agronegócio é o grande destaque da economia nacional. De forma isolada, ele representa nada menos do que um quarto de toda a riqueza gerada no país.

Somente em 2020, o valor gerado foi de R$ 2 trilhões, frente a um total de R$ 7,5 trilhões do Produto Interno Bruto (PIB) nacional.

Nesse segmento, o Brasil é uma potência mundial, alimentando mais de 1 bilhão de pessoas. Para se ter ideia, somos detentores da marca de segundo maior exportador de produtos desse gênero.

Além disso, também temos o título de terceiro maior produtor de fibras e de alimentos do planeta, sendo campeões na produção de soja, cana-de-açúcar, suco de laranja e café.

Quais são as opções de investimento?

Acompanhe a seguir as principais alternativas de investimentos no setor do agronegócio.

CRA e LCA

É possível investir diretamente em títulos ligados ao agronegócio. Estamos falando dos certificados de recebíveis (CRA) e das letras de crédito do agronegócio (LCA).

Tratam-se de papéis de renda fixa, emitidos por instituições financeiras e que têm a finalidade de custear a expansão do setor no país. São produtos isentos de pagamento de IR e protegidos pelo FGC. Na prática, é o investidor emprestando dinheiro a um banco ou securitizadora, que por sua vez emprestará esse dinheiro a projetos do agronegócio. Em troca, o investidor recebe uma taxa de rentabilidade, que pode ser pré, pós-fixada ou híbrida.

Ações

O setor do agronegócio é versátil e também apresenta opções de investimento na renda variável. Os interessados podem fazer aplicações comprando ações de empresas ligadas ao agronegócio que têm ações listadas em bolsa.

Somente para citar alguns exemplos de valorização em 2021, temos SLC Agrícola com 79% de ganhos no ano, JBS com 46%, Marfrig com 34 e Kepler com 26%.

Mercado futuro

Como grande parte das mercadorias agrícolas são consideradas commodities, existe a opção de investir no mercado futuro por meio de contratos derivativos.

Originalmente eles servem para proteger o mercado à vista (ou seja, quem detém a mercadoria), mas também é possível ao investidor comum ter acesso a esses instrumentos financeiros.

Entre as possibilidades, podemos citar os contratos de soja, milho, boi gordo, etanol e açúcar.

Fiagro

Lançado em março de 2021, os Fundos de Investimentos nas Cadeias Produtivas Agroindustriais ― Fiagro ― são uma nova opção de investimento em agronegócio do mercado financeiro brasileiro.

Tratam-se de uma espécie de fundo imobiliário voltado ao campo. Esses instrumentos podem investir seus recursos tanto em papéis do agronegócio quanto em imóveis rurais.

Também investem em participações societárias e direitos creditórios, desde que estejam ligados ao setor. Até agora, a nova alternativa tem se mostrado um sucesso constatado pelo número de novas emissões na bolsa de valores.

O setor do agronegócio no Brasil é um grande destaque. Não é a toa que é chamado de “motor da economia”, pois, sozinho, responde por mais de 25% de toda a riqueza gerada no país.

Dessa forma, abrem-se diversas oportunidades de aplicações para o investidor, com uma grande diversidade de instrumentos financeiros. A recomendação é encontrar o mais adequado ao perfil e investir com consciência. Existem opções para todos os tipos de investidores.