Brasil Agro (AGRO3) se destaca ante SLC (SLCE3), diz Eleven

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Site Gestagro 360

Embora a SLC Agrícola (SLCE3) siga como líder em termos de produtividade no segmento do agronegócio, a Eleven destacou, em relatório, sua preferência pelas ações da Brasil Agro (AGRO3) frente a SLC.

Dúvidas sobre como investir? Consulte nosso Simulador de Investimentos

Segundo o relatório assinado por Diana Stuhlberger, há um maior potencial de retorno nas ações da Brasil Agro, em “função do desconto encontrado em relação ao valor líquido dos ativos”.

Conforme a Eleven, enquanto a SLC negocia a 7,5 vezes o Ebitda estimado para 2021, a Brasil Agro negocia a 6 vezes.

Preço-alvo de SLC e Brasil Agro são alterados

No relatório, a Eleven informou que elevou para R$ 28 (de R$ 26) o preço-alvo das ações da SLC. Já para a Brasil Agro, o preço-alvo foi elevado a R$ 27 de R$ 24 anteriormente.

Os benefícios de se ter um assessor de investimentos

Estratégias diferentes

O comunicado distribuído aos clientes explanou sobre as diferenças de estratégia da SLC e da Brasil Agro.

Enquanto a SLC mostra uma estratégia mais Asset Light, a Brasil Agro tem se apresentado mais agressiva na venda de terras, dando um retorno sobre ativo maior do que o obtido na venda de produtos agrícolas.

A SLC espera na safra 2019/2020 uma redução de 2% na área plantada, fruto da demora no início das chuvas tanto no Maranhão quanto no Mato Grosso e a consequente postergação do plantio de soja.

Em relação à produtividade, a expectativa é de um aumento de 10,3% na primeira safra de algodão e de 7,4% na segunda, além de crescimento de 3,2% para a segunda safra de milho e 4,3% para a de soja, na comparação com 2018/19.

A Brasil Agro, por sua vez, está projetando um crescimento de 13,5% para a área plantada e de 40% na produção de grãos, fruto da incorporação da Agrifirma.

A Eleven avaliou tal junção como positiva, “visto que ela possibilitará que a Brasil Agro continue crescendo em área plantada, e também obtenha novas possibilidades de ganhos imobiliários”.

De acordo com o comunicado, a Agrifirma possui 29 mil hectares de área, divididos em duas fazendas no Oeste da Bahia, vizinhas às fazendas da Brasil Agro (Chaparral e Jatobá).

Planilha de Açõesbaixe e faça sua análise para investir