Agenda da semana: definição da Selic e balanços em destaque

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

A semana terá definição do Copom quanto à Selic, temporada de balanços e mais dados de inflação. Acompanhe.

Definição da Selic

Entre terça e quarta (26 e 27) o Comitê de Política Econômica (Copom), do Banco Central, se reúne para definir a taxa Selic – a aposta era de alta a 7,25%, mas as casas começaram a revisar a estimativa devido ao temor fiscal. E já há quem aposte em 7,75% na quarta.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

  • Sabe como investir em 2022, com os juros em alta? Confira aqui e não deixe de acompanhar os painéis sobre este tema na Money Week, que começa na segunda (25).

Temporada de balanços

A temporada de balanços do terceiro trimestre de 2021 começou na sexta-feira (22), com a Hypera (HYPE3) reportando seus números após o fechamento do mercado.

Na semana, porém, é que a divulgação de balanços se intensificará. Grandes nomes como WEG (WEGE3), Petrobras (PETR4), Vale (VALE3) e Ambev (ABEV3) têm suas publicações agendadas.

Indicadores de inflação

Serão divulgados na semana o IPCA-15, considerado prévia da inflação oficial (IPCA) e também o IGP-M, inflação do aluguel.

Nos EUA, será divulgado o PCE, cujo núcleo é a medida favorita do Federal Reserve (Fed) para acompanhar a evolução dos preços.

Novo cálculo do teto de gastos

Ainda no radar do investidor segue a questão do furo ou não ao teto de gastos.

Está para ser votado na Câmara um projeto que propõe alterar o reajuste anual pela inflação na regra do teto de gastos.

Atualmente, ele é feito pelo IPCA, considerando o período de 12 meses até junho. A proposta é contabilizar a inflação de janeiro a dezembro. A mudança liberaria R$ 83,6 bilhões do orçamento para 2022.

Confira o que vai ser destaque na semana:

Segunda, 25 de outubro

  • Confiança do consumidor FGV, 8h
  • IPC-S, terceira leitura de outubro, FGV, 8h
  • Boletim Focus, 8h25
  • Empréstimos bancários em setembro, 9h30

Terça-feira, 26 de outubro

  • Sondagem da Construção, FGV, 8h
  • Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), FGV, 8h
  • IPCA-15 de outubro, considerado prévia da inflação, IBGE, 9h
  • Confiança do consumidor dos EUA, Conferece Board, 11h
  • Venda de casas novas EUA, 11h
  • Início da reunião do Copom

Quarta-feira, 27 de outubro

  • Sondagem da Indústria, FGV, 8h
  • Índice de Preços ao Produtor (IPP), IBGE, 9h
  • Taxa de desemprego Brasil, IBGE, 9h
  • Definição sobre a taxa Selic, Banco Central, a partir de 18h

Quinta-feira, 28 de outubro

  • IGP-M de outubro, FGV, 8h
  • Sondagem do Comércio, FGV, 8h
  • Sondagem de Serviços, FGV, 8h
  • Decisão da taxa de juros do Banco Central Europeu, 9h
  • Prévia do PIB 3TRI21 EUA, 9h30
  • Pedidos iniciais por seguro-desemprego EUA, 9h30

Sexta-feira, 29 de outubro

  • Índice de Preços ao Consumidor da zona do euro, 6h
  • Prévia do PIB da zona do euro, 6h
  • Indicador de Incerteza da Economia, FGV, 8h
  • Índice de Preços PCE, EUA, 9h30
  • Dívida líquida/PIB de setembro, Banco Central, 9h30
  • Balanço Orçamentário Brasil, Banco Central, 9h30