Agência revela que Carlos Ghosn fugiu de trem-bala até Osaka antes de chegar ao Líbano

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Reprodução/BBC

O empresário Carlos Ghosn parece mesmo ter incorporado o espírito do famoso espião britânico James Bond, o 007, em sua fuga do Japão até o Líbano.

Informações divulgadas nesta segunda-feira (6) pela agência Kyodo revelaram que o ex-presidente da aliança Nissan/Renault usou até trem-bala em sua rota de escape, no trecho entre Tóquio e Osaka.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

A agência Reuters reproduziu as informações da Kyodo. Segundo as últimas notícias, as autoridades japonesas ainda buscam pressionar o Líbano a extraditar Ghosn para que o empresário possa enfrentar as muitas acusações de irregularidades financeiras.

Massako Mori, ministro da Justiça do Japão, concedeu sua primeira entrevista coletiva sobre o caso. Segundo ele, antes de solicitar a extradição junto a um país com o qual não tem acordo formal é preciso examinar minuciosamente a decisão com base na possibilidade de “garantir a reciprocidade e a lei nacional do país parceiro”.

O executivo cumpria prisão domiciliar no Japão e sua residência era monitorada por câmeras de vigilância, que foram desligadas por determinação da Nissan no dia 29 de dezembro, com medo de ameaças dos advogados de Ghosn.

 

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3