Aéreas puxam alta do Ibovespa, refletindo otimismo com recuperação econômica

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Freepik

As aéreas puxam a alta do Ibovespa às 11h24, com Azul (AZUL4) subindo 4,19% e Gol (GOLL4), 3,16%. E refletem o otimismo do exterior com vacinação e reabertura da economia.

A Cogna (COGN3) é a terceira maior alta e sobe 3,32%. Segundo reportagem do Valor, a empresa pretende adquirir faculdades de medicina e plataforma de tecnologia a partir do segundo semestre.

Conforme Rodrigo Galindo, CEO da Cogna, entrar com mais força só agora no rentável mercado de faculdade de medicina não é problema.

Aprenda hoje a investir em Small Caps e encontre as oportunidades escondidas na Bolsa.

“Tanto a vida pessoal quanto a vida empresarial é feita de escolhas. E nossa escolha foi investir em educação básica para sermos uma companhia mais diversificada e sustentável”, disse o executivo.

A Weg (WEGE3) é a quarta maior alta e sobe 2,54%.

Por fim, a Embraer (EMBR3), 2,40%. A empresa anunciou hoje que seus jatos ERJ 145 usados poderão passar por conversão e terem configuração de avião semiprivado. A aeronave de 50 lugares pode ser ajustada para oferecer de 16 a 28 assentos premium, com um assento de cada lado do corretor, aumentando o conforto e o distanciamento entre os passageiros.

Entre as baixas, Raia Drogasil cai 1,57%. Cosan recua 1,33%. Energisa cai 1,37%. Eletrobras cai 1,14%. E Banco Inter (BIDI11) recua 2,35%, um dia depois de anunciar investimento da Stone e intenção de migrar para a Nasdaq.