Advogado confirma desfiliação de Bolsonaro do PSL

Redação EuQueroInvestir
Colaborador do Torcedores

Crédito: Antonio Cruz/ Agência Brasil

Após conflitos entre Jair Bolsonaro e o deputado Luciano Bivar (PE) pelo comando do PSL, o presidente da república se desfiliou nesta terça-feira (19) do partido.

A decisão foi confirmada pelo advogado do presidente, Admar Gonzaga, no mesmo dia em que Bivar foi reconduzido à presidência da sigla, em convenção que decidiu também os membros da executiva nacional.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Lançamento do novo partido

Após a desfiliação do PSL, Bolsonaro lançará seu novo partido, Aliança pelo Brasil, em uma convenção nesta quinta-feira (21), em Brasília. Estima-se que pelo menos 30 políticos do PSL façam parte do novo partido do presidente, que já anunciou que deve comandar a legenda.

Flávio Bolsonaro também divulgou a desfiliação do partido e deve ser o sucessor da liderança do novo partido, depois que Jair Bolsonaro deixar a presidência. O outro filho do presidente, Eduardo, vai se desfiliar do PSL somente quando a Aliança pelo Brasil estiver oficializada.

Requisitos legais

O novo partido de Bolsonaro precisa ainda cumprir os requisitos legais, recolhendo 500 mil assinaturas em pelo menos 9 estados da federação, e entregá-las ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) até o mês de março do ano que vem para que possam lançar candidatos nas eleições municipais.

Bolsonaro e advogados se reuniram ontem para discutir o estatuto do Aliança, que será anunciado nesta quinta junto com o modelo de coleta de assinaturas.

LEIA MAIS:

Ibovespa renova máxima história com bom humor nos mercados

Após eleição, Argentina continua perdendo indústrias

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3