Acusada de roubar segredos comerciais, Rappi é processada nos EUA

Jéssica De Paula Alves
Jornalista e produtora de conteúdo
1

Crédito: Reprodução/Instagram Rappi Brasil

A Rappi, startup da América Latina financiada pelo SoftBank, está renfrentando um processo judicial nos Estados Unidos. O motivo é que a empresa foi acusada de roubar segredos comerciais para desenvolver seus serviços de entrega.

Com isso, a companhia realiza demissão em massa, para  reduzir sua força de trabalho em 6%. Segundo a startup, essa é uma forma de realizar ajustes em sua equipe de tecnologia.

Segundo o site Suno, o processo contra a Rappi foi movido no tribunal federal de São Francisco. Três empresários colombianos acusam o cofundador da empresa de ter copiado seus planos quando desenvolveu o aplicativo.

Simon Borrero, presidente da Rappi, é acusado de roubar segredos comerciais em 2015, quando o executivo e a companhia de desenvolvimento de software “Imaginamos” foram contratados para trabalhar em aplicativo de entrega chamado “Kuiky”. No fim de 2015, Borrero lançou a Rappi, segundo o processo.

Em comunicado, a Rappi informou que defenderia de forma contundente, classificando as alegações de “objetivamente incorretas”. Apesar de não ter comentado detalhadamente as alegações, a empresa informou que registrou sua marca com autoridades colombianas e o nome de domínio na Internet em meados de 2014.