Açu Petróleo protocola pedido de IPO

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução / Facebook / Porto do Açu

A Açu Petróleo protocolou pedido de oferta pública de ações (IPO, na sigla em inglês) junto à CVM.

De acordo com o prospecto, a empresa realizará oferta primária e secundária de ações.

A oferta será coordenada por Bank of America Merrill Lynch, Bradesco BBI e Santander.

BDRs| Confira os papéis disponíveis para Investimentos

Conforme a Açu Petróleo, os recursos levantados na oferta primária serão direcionados para implementação do Projeto SPOT.

O projeto consiste na construção de um parque de tancagem de até 11mbbl e oleoduto de 45 km de extensão, conectando-se com a rede nacional de oleodutos já existente.

Com isso, a companhia poderá realizar armazenagem de petróleo bruto, mistura, especificações de petróleo bruto e serviços de transporte.

Na tranche secundária, o acionistas vendedores são Prumo Logística e a Oiltanking GmbH.

Açu Petróleo

A Açu Petróleo é  o único e o maior terminal privado de petróleo do Brasil.

Segundo o documento, as operações da Açu Petróleo consistem na prestação de serviços de infraestrutura logística de transbordo de petróleo a grandes companhias do setor de óleo e gás, nacionais e internacionais, e produtores de petróleo.

A companhia opera no Complexo do Porto do Açu, o maior complexo portuário industrial privado do Brasil.

A Açu é fruto da parceria entre a Prumo Logística e a Oiltanking, operadora de terminais de nível internacional.

Os serviços de infraestrutura logística da Açu atualmente consistem em operações de transbordo de petróleo bruto de seu Terminal de Petróleo, facilitando a transferência do petróleo produzido offshore através de navios tanque aliviadores com posicionamento dinâmico, ou DP, para grandes navios petroleiros de exportação, como navios Suezmax e navios VLCC.

Operacional

O prejuízo líquido totalizou R$ 14,6 milhões em 2019, contra R$ 84,7 milhões de 2018 e R$ 23,8 milhões de 2017

A receita líquida atingiu R$ 236,5 milhões em 2019, contra R$ 158,2 milhões de 2018 e R$ 42,9 milhões de 2018.

O Ebtida alcançou R$ 121,1 milhões em 2019, ante R$ 84,7 milhões de 2019 e R$ 1 milhão de 2018.

A margem Ebtida atingiu 51% em 2019, 54% em 2018 e 2% em 2017.