Acordo internacional turbina setor de mineração

Marcello Sigwalt
null

O setor de mineração brasileiro deverá receber aporte expressivo de investimentos nos próximos anos. Esse é o objetivo do Memorando de Entendimento (MOU), assinado na segunda-feira (2) pelo  Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram) com a Toronto Stock Exchange (TSX) e a TSX Venture Exchange (TSXV), as duas bolsas de valores na cidade canadense de Toronto.

Ao mesmo tempo, a expectativa é de que a parceria abra espaço para ampliação da pesquisa tecnológica, exploração, além do desenvolvimento de projetos de mineração no país. A iniciativa coincide com a manifestação do governo brasileiro, no sentido de alavancar a mineração nacional, inclusive em terras indígenas, uma vez que o Congresso Nacional já analisa projeto do Executivo, nesse sentido.

Maior presença brasileira

De acordo com estudos do Ibram, somente 30% do espaço territorial total (8,5 milhões quilômetros quadrados) contam efetivamente com pesquisa geológica, ao passo que as minas em atividade correspondem a 0,6% do território do país.

O memorando prevê, ainda, a maior presença de empresas brasileiras nas bolsas de valores canadenses, facilitando a busca e identificação  de oportunidades que viabilizem investimentos adicionais ao setor.

Também está prevista a construção de uma agenda conjunta visando promover a mineração brasileira, a exemplo de conferências que atraiam investimentos canadenses para o Brasil, assinala o presidente do Conselho Diretor do Ibram, Wilson Brumer.

O vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios Globais da TSX e TSXV, Robert Peterman, revelou que mais de 35 empresas canadenses que negociam em bolsas de valores detêm cerca de 100 propriedades no Brasil.