Veja as ações de varejo preferidas da XP para 2020

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.

Crédito: Free-Photos from Pixabay

De acordo com relatório publicado pela corretora XP Investimentos na última terça-feira (26), o setor varejista pode surpreender em 2020.

Na verdade, a maré de otimismo em torno das varejistas já começou em 2019. Como reflexo as ações do setor tiveram forte pressão compradora, subindo em média 33% contra 23% do Ibovespa

“Ainda estamos no início da recuperação econômica do país, que tem sido impulsionada principalmente pelo consumo. Porém, acreditamos que esse cenário ainda não esteja refletido nos fundamentos das empresas”, avaliou o analista Pedro Fagundes.

 

Ações preferidas da XP

Para escolher as melhores ações, A XP levou em consideração os seguintes fatores da conjuntura econômica:

  • recuperação econômica, analisando empresas mais expostas a um ambiente de melhora no consumo; 
  • Resultado financeiro favorável de empresas com maior potencial de crescimento e de lucro; 
  • Valor sobre múltiplos descontados que oferecem risco-retorno assimétrico.

Partindo desses critérios, as escolhidas foram:

 Via Varejo 

Segundo a XP, a empresa apresenta uma relação de risco-retorno atraente. Ainda que seu risco seja relativamente alto em função do processo de reestruturação pelo qual a Via Varejo vem enfrentando.

“Os resultados do terceiro trimestre da Via Varejo mostraram um progresso significativo feito pela nova gestão da empresa. Destacamos (i) o impacto positivo nas margens, após a renegociação de acordos comerciais com os principais fornecedores e revisão dos incentivos para os vendedores nas lojas, e (ii) a retomada do crescimento da operação de vendas diretas online a partir de outubro”, pontuou Fagundes.

Em resumo, a XP recomenda compra da ação com preço-alvo de R$ 12 no fim de 2020.

Vivara 

Já a recomendação de compra para a Vivara se encaixa no tema “dinâmica de resultados favorável”. Isto porque a empresa está bem capitalizada e pronta para abrir 514 novas lojas nos próximos cinco anos.

O preço-alvo da Vivara é de R$ 30 para o fim de 2020.

 Pão de Açúcar

A recomendação de compras das ações da Companhia usa como critério de avaliação o “valor”. De acordo com analistas o preço está descontado.

“Em nossas estimativas, as ações do Pão de Açúcar atualmente negociam a um múltiplo Preço/Lucro em 2020 de 14,2 vezes (contra 23,5 vezes para o setor), enquanto o múltiplo implícito da operação do grupo no Brasil é 11,6 vezes (ante 16,9 vezes para o Carrefour)”, complementou.

Nestes termos, o preço-alvo foi reduzido de R$ 124 para R$ 105 em 2020. 

Lojas Renner 

Na visão da XP, a Lojas Renner “oferece uma combinação única de (i) maior alavancagem ao cenário de melhora no ambiente de consumo, e (ii) exposição a uma das melhores empresas do setor, que provavelmente continuará ganhando participação de mercado”.

Além disso,o crescimento dos lucros podem aumentar levando em consideração fatores como posicionamento forte e potencial de aumento da rentabilidade.

“O comércio eletrônico deve ser cada vez mais relevante para a categoria de roupas/calçados e acreditamos que a Lojas Renner esteja bem posicionada para se beneficiar da migração online”, acrescentou Fagundes.

O preço-alvo estimado para as ações da Renner é de R$ 64 para o fim de 2020.

B2W 

A XP acredita em potencial alta das ações da B2W, porém essa alta seria limitada tendo em vista que, segundo a corretora, o papel já está devidamente precificado.

“No entanto, acreditamos que a B2W esteja bem posicionada para continuar entregando um forte crescimento daqui para frente”, afirmou o analista.

“Esperamos que a geração de fluxo de caixa livre atinja R$ 80 milhões em 2019 (abaixo da meta de R$ 200 milhões para o ano), uma melhora significativa em relação à queima de caixa de aproximadamente R$ 200 milhões reportada em 2018”, avaliou a XP.

O preço-alvo para o fim de 2020 caiu, passando de R$ 58 para R$ 57.

Magazine Luiza 

A valorização das ações da Companhia em 2019 tiveram um desempenho impressionante. Apresentando resultados fortes em todas as operações, a XP acredita que o Magazine Luiza siga em tendência de alta.

“Estimamos um crescimento médio anual de Vendas Mesmas Lojas (SSS) de 7,5% para 2019-2022 e de 30% para o GMV (Volume Bruto de Mercadorias) online no mesmo período”, apontou. “Com isso, esperamos que o online represente 65% do valor total de mercadorias vendidas pelo Magazine Luiza em 2023”.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

O preço-alvo estimado para 2020 subiu de R$ 39 para R$ 45.

Carrefour Brasil 

Apesar do lento crescimento nas vendas, a empresa apresentou resultados sólidos nas operações de varejo e do banco.

“Destacamos o forte crescimento de 8,8% de SSS de varejo reportado no terceiro trimestre de 2019, impulsionado por um crescimento forte do GMV online”, comentou Fagundes.

Além disso, com novos investimentos tecnológicos o Carrefour está relativamente melhor posicionado para liderar a migração online no setor de varejo alimentar.

Investimentos tecnológicos também fortalecem a opinião de que O preço-alvo para o ano que vem caiu de R$ 25 para R$ 20.

Leia mais:

Por que o Magazine Luiza está atraindo tantos investidores?

Vivara tem retorno mais alto do que qualquer varejista na Bolsa