Receita líquida do setor de máquinas e equipamentos recua 3,6% em janeiro

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Reprodução / Abimaq

A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) divulgou nessa quinta-feira (27) balanço de janeiro de 2020. A receita líquida chegou a R$ 7,903 bilhões, o que representa uma retração de 9,4% na comparação com dezembro do ano passado e de 3,6% sobre janeiro de 2019.

Entretanto, no acumulado dos últimos 12 meses há uma alta de 0,3%, com uma receita líquida de R$ 121,8 bilhões.

Segundo informa a Agência Brasil, “a queda foi influenciada pela diminuição das exportações, que tiveram uma redução de 26,6% em janeiro em relação ao mesmo mês de 2019, ficando em US$ 554,6 milhões. No acumulado dos últimos 12 meses, a retração é de 7,8%, com as vendas para o exterior totalizando US$ 9,3 bilhões”.

O consumo aparente da indústria de máquinas e equipamentos cresceu 11,6% em janeiro, em comparação com dezembro. Subiu 19,3% na comparação com janeiro de 2019 e 12,3% no acumulado dos últimos 12 meses.

Abimaq apontas as causas

A Abimaq explica que as exportações vinham caindo devido a fatores externos, como a recessão argentina e a guerra comercial entre a China e os Estados Unidos. O surto do coronavírus, que teve como epicentro a China continental, paralisando suas indústrias de componentes que abastecem indústrias mundo afora, só intensificou o quadro.

“As vendas de máquinas para os Estados Unidos apresentaram queda de 44,8% em janeiro em comparação com o primeiro mês de 2019”, diz a matéria da Agência Brasil. “Os norte-americanos representam 27,6% do mercado externo do setor. A América Latina, destino de 33,7% das vendas para o exterior, teve retração de 12,3% nas compras de janeiro. Enquanto as vendas para a Europa caíram 9,4%”.

Outros números

A associação apresentou outros números preocupantes no balanço. O déficit comercial do setor, por exemplo, cresceu 90,1% em janeiro na comparação com dezembro. E foi uma rombo ainda maior na comparação com janeiro de 2019: 94,4%. No acumulado dos últimos 12 meses, aumentou 82%.

Tais resultados são reflexo da queda das exportações, que diminuíram 26,3% na margem e 26,6% na comparação entre o primeiro mês de 2019 e 2020. A queda no acumulado em 12 meses é de 7,8%. No caminho contrário, as importações cresceram 22%, 22,9% e 21,2%, respectivamente.

A boa notícia veio no nível de emprego, que aumentou 0,9% em janeiro, frente a dezembro. O quadro total de funcionários chegou a 305,192 mil trabalhadores no término de janeiro. No acumulado dos últimos 12 meses, o crescimento foi ainda maior, de 2,7%.

LEIA MAIS
Investimentos recuam 2% em dezembro, mas sobem 2,1% em 2019, diz Ipea

Varejo na zona do euro registra queda de 1,6% em dezembro; no ano, houve alta de 2,2%