Abilio Diniz: A história de um dos maiores empresários do Brasil

Késia Rodrigues
Colaboradora Independente do Portal EuQueroInvestir e leitora assídua de conteúdos sobre economia e política. Apaixonada por tecnologia, investimentos e viagens.

Crédito: Divulgação/Kiko Ferrite.

No post de hoje, seguindo a nossa série de grandes personalidades, falaremos sobre Abilio Diniz e a história de um dos maiores empresários do Brasil.

Aos 82 anos de idade, Abilio é o atual presidente do conselho de administração da Península Participações e também é membro do conselho de administração do Carrefour no Brasil e a nível global.

“Uns sonham com o sucesso, nós acordamos cedo e trabalhamos duro para consegui-lo”.

A frase acima resume bem o que veremos na história de Diniz, que é marcada pela superação e pelo desejo de vencer.

Continue a leitura para conhecer a história de Abilio Diniz e descubra por que ele é fonte de inspiração para milhares de empreendedores brasileiros.

Infância

Abilio dos Santos Diniz nasceu em São Paulo, em 28 de dezembro de 1936. Ele é o primogênito dos cinco filhos do casal Floripes Pires e Valentim Diniz.

Crédito da imagem: Divulgação/Brasil 247.

Valentim é imigrante português e chegou ao Brasil pelo Rio de Janeiro, mas foi em São Paulo que ele fez a sua história. Em sua passagem pelas terras cariocas, Valentim ficou encantado com as belezas e com o Pão de Açúcar.

Boa parte da infância de Abilio Diniz se passou no bairro de Paraíso, em São Paulo. Naquela época, ele e sua mãe não perdiam a missa aos domingos. Essa é, inclusive, uma das bases mais fortes de Abilio até os tempos atuais: a sua fé.

Quando pequeno, Abilio sofreu bullying na escola e nas ruas onde morou, principalmente por ser baixinho e gordinho. Esse foi um dos motivos que fizeram com que ele encontrasse a segunda maior razão de sua vida: o esporte.

Aos seis anos, Abilio já jogava futebol e ganhou destaque na posição de goleiro. Aos 13, começou a praticar boxe. O esporte foi algo realmente transformador em sua vida, pois o ajudou a ganhar autoestima e superar todas aquelas agressões que vinha sofrendo.

Talentoso, Abilio logo começou a se dedicar a outras lutas como a capoeira e o judô. Além disso, começou a praticar musculação e levantamento de peso em uma academia de São Paulo.

O Pão de Açúcar

Abilio Diniz é bastante conhecido por ser um dos fundadores do Grupo Pão de Açúcar, que é uma das maiores redes de supermercados do Brasil. Contudo, você sabia que, no início, o Pão de Açúcar era apenas uma doceria?

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Em 1948, o casal Floripes e Valentim iniciou um negócio de doces em São Paulo que levou o nome do ponto turístico carioca, o mesmo pelo qual Valentim se encantou anos atrás.

Ainda adolescente, Abilio começou a ajudar os pais no negócio e trabalhava em todas as etapas da produção de doces, que ia desde a fabricação até a entrega dos produtos aos clientes.

Essa vivência nos negócios da família foi fundamental para que Abilio escolhesse a carreira que gostaria de seguir, pois, alguns anos depois, em 1956, cursou Administração de Empresas na Fundação Getúlio Vargas, isso após terminar o ensino básico no Colégio Mackenzie.

Após se formar, Abilio tinha dúvidas se buscaria um emprego em uma multinacional ou se cursaria pós-graduação no exterior. Ele escolheu ir para os Estados Unidos, continuar seus estudos na Universidade de Michigan, contudo, pouco antes de partir, seu pai lhe fez uma proposta que mudou todo o rumo de sua vida.

Valentim propôs ao filho a abertura de um supermercado, que levaria o mesmo nome da doceria da família. Após perceber que existia um grande potencial naquilo que o pai lhe propôs, Abilio resolveu entrar de cabeça no negócio e, assim, surgiu o primeiro supermercado Pão de Açúcar.

Essa primeira loja foi inaugurada em abril de 1959 e ficava a poucos metros de onde era a doceria da família, na Avenida Brigadeiro Luiz Antônio, em São Paulo.

Aos poucos, o supermercado começou a atrair a atenção da classe média e, quatro anos após a abertura da primeira loja, o segundo supermercado Pão de Açúcar foi inaugurado em um dos bairros de classe mais alta da capital paulista, o de Higienópolis.

Nos anos seguintes, o Pão de Açúcar adquiriu algumas redes de supermercados e não parou de crescer. Em 1968, para que você possa ter uma ideia, já existiam cerca de 40 lojas do Pão de Açúcar, que empregava mais de 1.600 pessoas.

A participação no governo

Entre 1960 e 1970, o Pão de Açúcar apresentou um forte crescimento sob o comando de Abilio Diniz. No entanto, em 1979, após uma série de desentendimentos familiares, o empresário decidiu afastar-se dos negócios da família.

Assim, a convite de seu amigo Mário Henrique Simonsen, na época Ministro da Fazenda do governo de Ernesto Geisel, Abilio se tornou membro do Conselho Monetário Nacional (CMN), cargo que ocupou entre os anos de 1979 a 1989.

No entanto, ao deixar o cargo no governo, Abilio sentiu-se um pouco arrependido, pois não conseguiu fazer aquilo que queria pelo país e acabou se afastando muito dos seus negócios. Tanto que considerou esse período como uma “década perdida” em sua vida.

As dificuldades e o sequestro em 1989

O final da década de 1980 e o início da década de 1990 não foi nada fácil para Abilio Diniz e para a sua família. Esses fatos, segundo ele, foram marcantes e serviram para transformar tudo aquilo que ele era e acreditava até então.

No fim dos anos de 1980, os negócios do Pão de Açúcar não iam bem. Valentim pediu que Abilio assumisse novamente a direção da companhia com plenos poderes.

Assim, ao retornar para o Pão de Açúcar, em 1989, Abilio deu início a um complexo processo de recuperação da companhia, que quase foi à falência.

Para isso, realizou cortes radicais, reduziu bastante o número de lojas e vendeu ativos que pertenciam à família. Tudo isso foi muito importante para que a empresa conseguisse se recuperar e, assim, pudesse dar início a um novo processo de expansão.

Em meio a todo esse turbilhão de problemas envolvendo a empresa, Abilio é sequestrado em 11 de dezembro de 1989, no bairro paulista de Jardim Europa.

Essa foi uma das experiências mais traumáticas para o empresário, que passou seis dias em um cativeiro apertado em Jabaquara, bairro da zona sul de São Paulo. Os sequestradores eram um grupo formado por pessoas de diversos países sul-americanos e que tinham ligação com um suposto movimento de esquerda.

A experiência de ficar em um cativeiro ao longo de vários dias fez com que Abilio repensasse toda a sua vida e o mostrou que ele não era uma pessoa inatingível ou indestrutível, como pensava até então.

Após tudo isso, Abilio continuou a controlar os negócios do Grupo Pão de Açúcar, no entanto, de 1992 em diante, novas dificuldades surgiram, mas dessa vez ligadas a problemas familiares que interferiam no futuro da companha.

Depois de inúmeros conflitos entre os irmãos, o Grupo Pão de Açúcar finalmente se estabilizou após o fechamento de um acordo no ano de 1993. Na época, Abilio passou a ser o sócio majoritário do grupo, seguido por seus pais e por uma de suas irmãs.

O renovo e o sucesso na carreira empresarial

Depois de vencer todas essas dificuldades, Abilio Diniz deu início a uma nova subida tanto nos negócios quanto em sua vida pessoal.

Em 1995, Abilio abriu o capital do Pão de Açúcar e, dois anos depois, passou a negociar as ações da companhia na Bolsa de Valores de Nova York.

Pouco depois foi a vez de Abilio realizar uma parceria com o grupo francês Casino, que se tornou sócio minoritário do Grupo Pão de Açúcar em 1990, mas assumiria o controle total da companhia em 2012.

Antes que isso acontecesse, o Grupo Pão de Açúcar continuou a expandir os seus negócios e comprou o Ponto Frio, uma das maiores redes do varejo, além de adquirir participação nas Casas Bahia, outra grande companhia do ramo de eletrodomésticos.

Após deixar a presidência do Grupo Pão de Açúcar, Abilio foi convidado a presidir o conselho de administração da BRF, uma das maiores companhias de alimentos do mundo.

Nos anos seguintes, Abilio se dedicou a adquirir ações do grupo Carrefour Brasil por meio da empresa Península Participações, fundada em 2006 para gerir os ativos pertencentes à família Diniz.

A aquisição de 10% do grupo Carrefour Brasil garantiu a Abilio uma cadeira no conselho de administração da companhia, mas o empresário não queria parar por aí.

Em 2015, por meio da Península Participações, Abilio aumentou a sua participação no grupo Carrefour Brasil para 12% e no Carrefour global para mais de 5%. No ano seguinte, Abilio se tornou o terceiro maior acionista da rede Carrefour global e foi convidado a integrar o conselho de administração da companhia, o que foi uma das suas maiores realizações enquanto empresário.

Crédito da imagem: Ueslei Marcelino/Reuters.

Os livros de Abilio Diniz

Ao longo de sua jornada, Abilio Diniz escreveu três livros, que logo se tornaram best sellers. O primeiro deles é intitulado “Caminhos e Escolhas — O caminho para uma vida mais feliz”. Nele, Abilio conta detalhes dos momentos mais decisivos de sua vida pessoal e profissional.

Além disso, é nessa obra que ele elenca o que chamou de “seis pilares para uma vida feliz”, que são: alimentação, atividade física, controle do estresse, amor, autoconhecimento e espiritualidade.

Além disso, em seu blog, Abilio escreveu diversas frases que ficaram bastante conhecidas no meio empresarial, tais como: “Quero ser hoje melhor do que fui ontem e amanhã, melhor do que sou hoje” e “Ser objetivo é saber onde está e aonde se quer chegar focando em resultados”.

O segundo livro veio em 2016 e se chamou “Novos Caminhos, Novas Escolhas”. Nele, Abilio compartilha com os leitores os detalhes dos últimos 12 anos até o livro ser escrito, período que considera como um dos mais felizes de sua vida.

O último livro lançado se chama “Abilio – Determinado, Ambicioso, Polêmico”. Trata-se de uma biografia, que conta em detalhes todo o legado deixado por esse que é considerado um dos maiores empresários do Brasil.

Por fim, não podemos deixar de lembrar que Abilio foi reconhecido pela revista Época, em 2009, como um dos 100 brasileiros mais influentes. Além disso, a revista Forbes o reconheceu em 2016 como um dos empresários mais importantes do mundo e como uma das pessoas mais ricas do planeta.

Tudo isso foi o resultado de uma vida dedicada ao aprendizado, de uma pessoa que não se deixou abater pelas dificuldades, mas as enfrentou com maestria e mostrou que é possível chegar onde nós quisermos, basta querer.

Hoje, Abilio Diniz se dedica a levar o conhecimento que acumulou ao maior número de pessoas possível. Para isso, fundou o Plenӕ, uma instituição voltada a disseminar as práticas e hábitos de vida saudáveis, com o intuito de permitir que as pessoas tenham uma vida mais longa e plena.

Gostou de conhecer a história de Abilio Diniz? Então não deixe de se inscrever em nossa newsletter para continuar recebendo mais conteúdos como esse. Aproveite e siga a EuQueroInvestir nas redes sociais.

Até a próxima e bons investimentos!

Se considera um investidor conservador? Então você está em risco de extinção!

O cenário econômico virou do avesso e o país já não é mais o mesmo.

As taxas de juros caíram à níveis jamais vistos no Brasil desde o final do governo Militar (imagem abaixo) e levaram os rendimentos de Renda Fixa para próximo de Zero (ou negativos no caso da poupança).

Italian Trulli

A nova equipe econômica está incentivando novos investimentos no país, e com isso já não é mais possível ganhar dinheiro confortavelmente na poupança e em CDBs comuns. Por isso, estamos declarando a Extinção do Investidor Conservador.

Se você faz parte dessa espécie de investidor que está em risco de extinção, confirme seus dados no formulário abaixo e fale com nossa equipe. Vamos te ajudar, sem dor e sem custo.