Mercados de NY e da Europa tentam se manter em terreno positivo

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Os mercados de Nova York e da Europa estão em alta, às 5h38 desta quarta-feira (9), a despeito de uma conjunção de fatores negativos. Na Ásia, o fechamento foi negativo.

Ontem, as bolsas registraram novamente quedas, devido à liquidação das empresas de tecnologia nos EUA, que segue desde a semana passada.

As tensões entre EUA e China também ganharam novos contornos, com Donald Trump afirmando, sem dar detalhes, no entanto, que quer reduzir os laços econômicos entre os dois países.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

O preço do petróleo teve forte queda, depois que a Arábia Saudita reduziu o preço de venda para compradores da Ásia. Nesta manhã, o preço está em recuperação.

Para complementar, a AstraZeneca e a Universidade de Oxford pausaram os testes de fase 3 da vacina contra o coronavírus, considerada a mais promissora entre as opções estudadas. A vacina teria apresentado uma reação adversa grave em voluntário do Reino Unido. Apesar de especialistas afirmarem que o fato é comum em estudos do tipo, ele dá uma desanimada.

Destaques no Brasil

Ontem, o Ibovespa fechou com perda de 1,18%, aos 100.050 pontos.

Hoje é dia de divulgação do Índice de Preços para o Consumidor Amplo (IPCA), índice oficial de inflação do país, pelo IBGE. A projeção do mercado é por variação de 0,23%, ante 0,36% de julho. Em junho, o avanço foi de 0,26%. Maio e abril foram meses de deflação. A meta do governo para o ano é de inflação de 4%.

Destaque também para a aprovação em assembleia de credores, do plano de recuperação da Oi (OIBR3 OIBR4).

O plano prevê o fatiamento das operações e a venda de ativos, entre eles a telefonia móvel, que ficará com as concorrentes TIM (TIMP3), Vivo (VIVT4) e Claro.

Também estava prevista a venda de parte da rede de fibra óptica InfraCo, além de torres e data centers.

Veja as cotações às 5h38:

Mercados Nova York

  • S&P: +0,89%
  • Nasdaq: +1,74%
  • Dow Jones: +0,69%

Mercados Europa

  • DAX, Alemanha: +1,26%
  • FTSE, Reino Unido: +1,09%
  • CAC, França: +1,06%
  • FTSE MIB, Itália: +0,95%
  • Stoxx 600: +0,97%

Mercados Ásia

  • Nikkei, Japão: -1,04%
  • Xangai, China: -1,86%
  • HSI, Hong Kong: -0,63%
  • ASX 200: -2,15%
  • Kospi, Coreia: -1,09%

Petróleo

  • WTI (outubro 2020): US$ 37,44 (+1,85%)
  • Brent (dezembro 2020): US$ 40,28 (+1,28%)

Ouro

  • Ouro futuro: 1.938 a onça-troy (-0,25%)

Minério de ferro

  • Bolsa de Dalian, China: US$ 120,39 (-3,40%)

Conheça os benefícios de se ter um Assessor de Investimentos