Ibovespa vira e opera em queda, acompanhando mercados de Nova York

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/B3

O Ibovespa vira e opera em queda de 0,16%, aos 119.827,04.

O Ibovespa segue a queda em Nova York. Nos EUA, bolsas intensificam perdas após o presidente americano Joe Biden anunciar que pretende aumentar imposto sobre ganhos de capital para 43,4% para ricos, lembra o BTG Pactual.

Foco em Brasília nesta quinta-feira (22), quando deve ser sancionado com veto parcial o Orçamento de 2021.

Ontem, um dia antes do prazo final para a sanção do Orçamento, o presidente Jair Bolsonaro sancionou outro texto, da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que permite a abertura de crédito extraordinário para bancar programas de socorro a empresas privadas e que retira da meta fiscal gastos emergenciais com saúde.

Tal texto havia sido aprovado na segunda-feira (19) e foi fundamental para destravar o impasse do Orçamento. Isto porque, com ele, abre-se espaço para acomodar as emendas parlamentares de R$ 16,5 bilhões – que haviam sido razão para crise entre equipe econômica e Congresso nas últimas semanas.

Destaque também para a participação virtual de Bolsonaro e o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, da Cúpula do Clima, com o desafio de melhorar a imagem brasileira quanto à preservação ambiental.

Sondagem da Indústria

A prévia da Sondagem da Indústria, divulgada  pela Fundação Getulio Vargas (FGV), aponta nova queda do Índice de Confiança da Indústria em abril, desta vez de 1,1 ponto. Agora, o índice se encontra a 103,1 pontos.

Se o resultado se confirmar, essa será a quarta queda consecutiva, com retorno ao menor patamar desde agosto de 2020 (quando atingiu 98,7 pontos).

A queda decorre da piora da situação corrente, com as expectativas se mantendo constantes para os próximos meses.

Destaques no Exterior

Hoje os mercados de Nova York começam o dia no negativo, repercutindo certa apreensão com o avanço dos casos de coronavírus especialmente na Índia (com mais de 300 mil casos diários de contaminação), o que pode comprometer a retomada global da economia.

Europa opera em alta, assim como fechou a Ásia.

Nos EUA segue a temporada de balanços do primeiro trimestre, com resultados de AT&T, Intel, American Airlines, entre outras.

Os novos pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos novamente surpreenderam positivamente. Ficaram em 547 mil, quando o mercado projetava 617 mil. Na semana passada, foram 586 mil pedidos, revisados dos 576 mil anunciados anteriormente.

Novamente, o nível de reivindicações é o mais baixo desde 14 de março de 2020, início da pandemia de coronavírus, quando 256 mil pedidos foram feitos.

Como o mercado aguardava, o Banco Central Europeu confirmou na manhã desta quinta-feira (22) que os juros seguem inalterados nos países da zona do euro – a taxa de depósitos em -0,5% e a de empréstimos em 0,25% ao ano. Também não há alteração no programa de compra de ativos, sendo mantidos 1,85 trilhão de euros.

O Banco Central Europeu reforçou que a política monetária estimulativa ainda é necessária, dadas as novas restrições de circulação em alguns países da Europa e a demora na campanha de vacinação, que vem enfrentando atrasos na entrega dos imunizantes da AstraZeneca.

Veja as cotações às 15h40:

Mercados Nova York

  • S&P: -0,70%
  • Nasdaq: -0,71%
  • Dow Jones: -0,80%

Mercados Europa

  • DAX, Alemanha: +0,76%
  • FTSE, Reino Unido: +0,44%
  • CAC, França: +0,87%
  • FTSE MIB, Itália: +0,94%
  • Stoxx 600: +0,60%

Mercados Ásia

  • Nikkei, Japão: +2,38%
  • Xangai, China: -0,23%
  • HSI, Hong Kong: +0,47%
  • ASX 200, Australia: +0,83%
  • Kospi, Coreia: +0,18%

Petróleo

  • Brent (junho 2021): US$ 65,65 (+0,51%)
  • WTI (maio 2021): US$ 61,64 (+0,47%)

Ouro

  • Ouro futuro (junho 2021): US$ 1.785 (-0,45%)

Minério de ferro

  • Bolsa de Dalian: US$ 168,17 (-0,46%)