Bolsa de valores opera em queda, na contramão de NY

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/B3

Os mercados em Nova York operam em alta nesta quinta-feira (1). Já o Ibovespa tem queda, com recuo de 0,83%, aos 115.669 pontos, às 15h.

O país segue no clima de incerteza, acompanhando a escalada da pandemia e os possíveis gastos decorrentes dela, que aumentam o risco fiscal.

A indústria brasileira teve uma queda de 0,7% na produção em fevereiro, na comparação com janeiro, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou hoje (1º), no Rio de Janeiro, a Pesquisa Industrial Mensal (PIM).

A retração interrompeu um período de nove altas consecutivas, em que o setor teve um crescimento de 41,9%. Mesmo assim, no acumulado em 12 meses, de março de 2020 a fevereiro de 2021, a produção apresenta recuo de 4,2%.

Quando comparado com o mesmo mês de 2020, fevereiro de 2021 teve alta de 0,4% na produção industrial. A variação positiva interanual foi a sexta seguida.

Paralelamente, aumenta a pressão sobre o presidente Jair Bolsonaro, agora mais próximo do Centrão, após uma mini (e inesperada) reforma ministerial.

Ontem (31), o relator do Orçamento, Márcio Bittar, apresentou solução para reduzir em R$ 10 bilhões as emendas parlamentares do Orçamento de 2021, mas ainda assim o problema segue na mesa. São necessários mais R$ 21 bilhões para que o governo cumpra com os gastos obrigatórios.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defende que o presidente Bolsonaro dê um veto parcial ao projeto. Caso seja executado um Orçamento com manobras contábeis, já identificadas por técnicos da área orçamentária do governo e do Congresso, Bolsonaro corre o risco de cometer crime de responsabilidade fiscal, passível de impeachment.

Quanto à pandemia, a Anvisa autorizou ontem o uso emergencial da vacina da Janssen, de dose única. O Ministério da Saúde já comprou 38 milhões de doses da mesma, mas as entregas acontecem só a partir do terceiro trimestre.

O Congresso também estuda liberar a compra de imunizantes pela iniciativa privada, sem a atual contrapartida de doação de 100% das doses para o Sistema Único de Saúde (SUS) até que todos os prioritários do Plano Nacional de Vacinação estejam imunizados. Uma possibilidade é permitir a compra, com doação de 50% para o SUS e 50% para aplicação imediata nos funcionários da empresa.

Indicadores

A produção industrial nacional recuou 0,7% em fevereiro na comparação com o mês anterior. O resultado interrompe uma sequência de nove resultados positivos consecutivos na Pesquisa Industrial Mensal (PIM). Ela foi divulgada nesta quinta-feira (1) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A projeção do mercado era por alta de 0,5%. No ano, a indústria acumula alta de 1,3% e, em 12 meses, queda de 4,2%.

O Índice dos Gerentes de Compras (PMI na sigla em inglês) para a indústria brasileira caiu em março, passando de 58,4 em fevereiro para 52,8 um mês depois, o menor patamar em nove meses.

Hoje ainda saem as vendas de veículos da Fenabrave, e a balança comercial de março, divulgada pelo Banco Central.

Mercados do exterior

Repercute hoje nos mercados o pacote de infraestrutura apresentado ontem pelo presidente americano Joe Biden. Estimado em mais de US$ 2 trilhões a serem gastos em oito anos, o plano visa revitalizar a infraestrutura de transporte do país, os sistemas de águas, redes elétricas, banda larga e aperfeiçoamento da indústria, entre outras medidas, e assim gerar milhões de postos de trabalho.

Um aumento de alíquota no imposto sobre as empresas para 28% financiará parte dos gastos. Para as próximas semanas, Biden prometeu um complemento ao plano, que contemple saúde e educação.

Críticos, no entanto, apontam que, com o novo pacote, as empresas americanas perdem competitividade no cenário global. Com o aumento de impostos e retirada de isenções, as taxas às empresas nos EUA devem se tornar as mais altas entre os 37 países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), grupo do qual o Brasil não participa. Atualmente, os EUA ocupam a 12a posição neste ranking da Tax Foundation.

Pela mesma razão, o plano deve encontrar forte resistência no Congresso, dos republicanos e também dos democratas moderados.

PMIs

Hoje saem os resultados dos Índices dos Gerentes de Compras (PMI na sigla em inglês) de diversos países, calculados pela IHS Markit.

Na China, houve recuo do PMI industrial, que foi de 50,9 para 50,6 pontos em março. As pontuações acima de 50 indicam avanço da atividade e as menores, retração.

No Japão, o PMI foi de 52 para 52,7.

Na zona do euro, o índice avançou consideravelmente, indo de 57,9 para 62,5 pontos.

No Reino Unido, foi de 55,1 para 58,9 pontos.

No Brasil, como já dito, o indicador caiu de 58,4 para 52,8 em março, sendo o menor nível em nove meses.

E nos EUA, o indicador ficou em 59,1 pontos em março, ante 58,6 de fevereiro, e projeção de 59. Este é o segundo maior nível da série histórica, iniciada há 14 anos. O primeiro foi em junho de 2014.

Dados sobre emprego

Hoje também teve a divulgação dos novos pedidos de seguro-desemprego nos EUA. Eles subiram inesperadamente e somaram 719 mil, um aumento de 61 mil em relação aos 658 mil da semana anterior.

Ontem, a pesquisa ADP apontou a criação de 517 mil postos de trabalho nos EUA em março. O número revela forte recuperação do mercado ante fevereiro, quando foram criadas 176 mil vagas no setor privado – revisadas das 117 mil anunciadas anteriormente.

Mas, ainda assim, o resultado ficou abaixo da expectativa, que era de abertura de 550 mil vagas. A pesquisa da ADP é considerada uma prévia do payroll, folha de pagamentos oficial americana, que sai na sexta (2). Mas, enquanto ADP só contabiliza iniciativa privada, o payroll também soma os cargos públicos. A projeção é de criação de cerca de 650 mil vagas.

Hoje ainda, os países produtores de petróleo da Opep decidiram aumentar gradualmente, a partir de maio, a oferta mundial da commodity.

Veja as cotações às 15h:

Mercados Nova York

  • S&P: +0,97%
  • Nasdaq: +1,55%
  • Dow Jones: +0,49%

Mercados Europa

  • DAX, Alemanha: +0,66%
  • FTSE, Reino Unido: +0,35%
  • CAC, França: +0,59%
  • FTSE MIB, Itália: +0,25%
  • Stoxx 600: +0,61%

Mercados Ásia

  • Nikkei, Japão: +0,72%
  • Xangai, China: +0,71%
  • HSI, Hong Kong: +1,97%
  • ASX 200, Australia: +0,56%
  • Kospi, Coreia: +0,85%

Petróleo

  • Brent (junho 2021): US$ 63,78 (+1,66%)
  • WTI (maio 2021): US$ 60,37 (+2,03%)

Ouro

  • Ouro futuro (junho 2021): US$ 1.727,95 (+0,72%)

Minério de ferro

  • Bolsa de Dalian: US$ 148,40 (-2,79%)